segunda-feira, 29 de agosto de 2011

"A Ilha dos desencontros"

A Ilha dos desencontros
de Anita Shreve
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 240
Editor: Porto Editora
Idioma: Português

Sinopse
«Pergunto a mim própria: se uma mulher for levada ao limite, como reagirá?»


A pergunta é feita por Jean, uma fotógrafa, que em 1995 chega à ilha de Smuttynose, ao largo da costa do Maine, para fazer uma reportagem sobre um crime que aí teve lugar cem anos antes. Com ela viajam o marido, a filha de cinco anos, o cunhado e a respectiva namorada.
À medida que vai mergulhando nos detalhes daquele acontecimento - um caso de paixão que resultou na morte de duas mulheres -, ela própria entra num terreno perigoso, dominada por emoções contraditórias. A suspeita de que o marido tem um caso desencadeia um ciúme incontrolável e uma desconfiança que acabam por levar Jean ao limite das suas emoções e a comportamentos de que nem ela própria suspeitava ser capaz.

Em A Ilha dos Desencontros, Anita Shreve, baseando-se num facto real - o assassínio de duas mulheres que ainda hoje continua por desvendar -, leva-nos através de uma viagem inesquecível até aos limites mais extremos da alma humana.

1ª Páginas
Anita Shreve Natural do Massachusetts, onde ainda hoje reside, Anita Shreve formou-se na Tufts University, foi professora e acabou por enveredar pelo jornalismo após uma das suas histórias ter ganho o O. Henry Prize, em 1975, escrevendo então artigos para revistas como a Quest, Us e Newsweek. Mais tarde, publicou dois livros de não ficção a partir de artigos publicados na The New York Times Magazine. Em 1989 abandonou o jornalismo e dedicou-se apenas à literatura, alcançando um grande sucesso internacional – as suas obras venderam já mais de 7 milhões de exemplares em todo o mundo. Em 1998, recebeu o PEN/L.L. Winship Award e o The New England Book Award para ficção.
No catálogo da Porto Editora figuram os romances
Testemunho (2010) e
A Ilha dos Desencontros (2011).

Imprensa:
Arrebatador... um dos livros mais tocantes de Anita Shreve.
San Francisco Chronicle

Uma história fascinante... Anita Shreve explora temos como o adultério, o ciúme, o crime passional, o incesto, a negligência e a perda... criando uma tensão quase insuportável. Um romance perturbador.
New York Times Book Review

Uma profunda e bem conseguida indagação sobre a devastação do amor.
Los Angeles Times

Um extraordinário relato sobre os aspectos mais sombrios do amor... A narrativa é electrizante, a escrita igualmente poderosa.
Milwaukee Journal Sentinel

Opinião
Autora, de um dos meus livros favoritos “A Praia do Destino”, é sempre uma maravilha pegar em mais uma obra de Anita Shere para saborear. A autora tem o dom de nos descrever momentos marcantes, chocantes, dramáticos, num tom de escrita bastante calma e reconfortante.
“A Ilha dos desencontros” não foi das melhores leituras. Achei muitas vezes a narrativa e o desenrolar da história, maçadora, monótona, sem interesse, apesar de na parte final ter sido mais ritmada, com algum empolgamento e ação. Continuo achar que teve várias passagens desinteressantes. O que mais me empolgou nesta leitura, não foi o romance ou supostos romances, mas sim o desvendar de um crime macabro, ocorrido há cem anos. Conhecemos e percebemos as vidas das mulheres assassinadas assim como a vida de Maren, uma das personagens chave de todo este misterioso assassinato.
Jean, a jornalista que investiga este crime, e que nos relata todos os pormenores e acontecimentos, também vai viver nesta viagem as Ilhas Shools, muitos momentos de contradições, em relação a si mesma e com o seu atual relacionamento.

Leitura realizada em Agosto/2011
Classificação 4/7 Bom

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

"O Beijo Carmesim"

O Beijo Carmesim
de Lara Adrian
título original: Kiss of Crimson

Unidos pelo sangue e por segredos sombrios, entram num mundo de perigos e prazer infinito...

Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 368
Editor: Quinta Essência

Sinopse
Ele chega até ela mais morto que vivo, um enorme estranho vestido de preto, crivado de balas e a perder muito sangue. Enquanto luta para salvá-lo, a médica veterinária Tess Culver não faz ideia de que o homem que se chama Dante não é totalmente humano, mas um membro da Raça, guerreiros vampiros envolvidos numa batalha desesperada. Num momento único e carregado de erotismo, Tess é lançada no mundo dele - um lugar perigoso e sombrio onde vampiros Renegados vagueiam na noite trazendo o terror.
Assombrado por visões de um futuro obscuro, Dante vive e luta como se não houvesse amanhã. Tess é uma complicação de que ele não precisa - mas agora, com os seus irmãos sob ataque, ele deve protegê-la de uma ameaça crescente, que o inclui a ele próprio. Por causa de um beijo rápido e irresistível, ela tornou-se parte do seu reino subterrâneo... e o toque dele desperta-a para dons escondidos, desejos e fomes que ela nem sonhava possuir.
Ligados pelo sangue, Dante e Tess devem trabalhar juntos para acabar com os inimigos mortais, ao mesmo tempo que descobrem uma paixão que transcende os próprios limites da vida...

Imprenssa:
«Deixem-me apenas dizer quão animada estou a esta nova série! Mal posso esperar para recomendar O Beijo Carmesim aos meus amigos e amantes de livros. Embora a história de Dante seja o segundo livro da extraordinária série de Lara Adrian, não é necessário ler o primeiro, O Beijo da Meia-Noite. Mas recomendo-o vivamente, já que detesto ver leitores perder uma parte de uma série tão deliciosa.»
Romance Junkies

«O Beijo Carmesim é uma leitura intensamente erótica e emocionante que vai prender os leitores. Adrian mantém o enredo novo e fresco, e os personagens cativantes...»
Fallen Angels (5 Angels)

«Uma escrita vibrante que aumenta o suspense, e segredos ocultos que proporcionam várias reviravoltas… O Beijo Carmesim é um vencedor e deixará os leitores ávidos... da próxima história da Raça da Meia-Noite.»
Romance Reviews Today

Lara Adrian vive com o marido no litoral da Nova Inglaterra, rodeada por cemitérios seculares, pelo moderno conforto urbano e pela inspiração infinita do oceano Atlântico

Série Midnight Breed (Raça da Meia-Noite)
1 - O Beijo da Meia-Noite - A Kiss of Midnight
2 - O Beijo Carmesim - Kiss of Crimson
3 - O Despertar da Meia-Noite - Midnight Awakening
4 - Midnight Rising
5 - Veil of Midnight
6 - Ashes of Midnight
7 - Shades of Midnight
8 - Taken by Midnight
9 - Deeper Than Midnight

Opinião:
Quanto terminei a leitura do 1º volume da raça da meia-noite, o Beijo da meia-noite, senti uma enorme vontade de saber mais sobre todas aquelas personagens. O 2º volume não desilude o leitor em nenhum pormenor. Encontramos Dante um guerreiro que sabe cativar o leitor, tão ou melhor que Lucan. Ele é arrogante, individualista, destemido, extraterrestre, vive na solidão, não é nada sentimental e vive para proteger os seus.
Tess é uma veterinária, que vive para o seu trabalho, o seu amor á profissão, faz com que passe horas e horas em claro a dar o seu melhor na clinica. Mesmo a passar muitas dificuldades financeiras, Tess não deixa de ajudar quem necessita, pensando no dia de hoje e esquecendo o dia de amanha. É numa dessas noites, em que está a fazer noitada na sua clinica, que acaba por conhecer Dante. Este ferido, após um combate com renegados, e completamente desprotegido, sem forças, entra na clinica e acaba por se alimentar de Tess, a única mulher de quem não se podia ter alimentado. Isto porque, Tess sem saber é uma companheira de raça e vai ficar ligada a Dante para a eternidade.

“Carmesin” é o nome de uma nova droga, que no ser humano não produz qualquer efeito. Mas, ao ser consumida por um renegado, destrói completamente. Esta droga anda a ser fabricada e distribuída por alguém muito próximo de Tess, o seu ex-namorado. Ele produz e comercializa a droga, sem ter qualquer conhecimento dos seus efeitos e consequências.
Dante vai ter duas grandes missões: 1º encontrar o traficante de droga e o seu chefe e acabar com a comercialização do Carmesin. 2º Convencer Tess, que é uma companheira de Raça e que esta ligada a ele para sempre.
Mais uma linda história de amor, para o leitor desfrutar. Uma saga magnífica, que nos deixa com imensa curiosidade sobre os restantes regueiros da ordem.

Leitura realizada em Agosto/2011
Classificação: 5/7 Muito Bom

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

"A Dança das Borboletas"

A Dança das Borboletas
de Poppy Adams
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 320
Editor: Porto Editora
Idioma: Português

Sinopse
Assomando à janela do primeiro andar da mansão degradada que em tempos fora a sua idílica casa de família, Ginny aguarda ansiosamente a chegada da irmã, que partiu há quarenta e sete anos e nunca mais voltou. Especialista em borboletas, Ginny leva uma vida de reclusão, com medo de se aventurar no mundo exterior.
Com o regresso de Vivien, os segredos que provocaram a separação das duas irmãs irão perturbar o quotidiano de Ginny muito para além das rotinas precisas que lhe definem os dias.
Das suas infâncias, apenas o sótão da casa permanece inalterado, com as suas paredes revestidas com mostruários de borboletas cuidadosamente preservadas ao longo de várias gerações.
Narrado pela voz inesquecível de Ginny, este brilhante romance de estreia descreve-nos o que as famílias são capazes de fazer - especialmente em nome do amor.

Primeiras Páginas


Poppy Adams é licenciada em Ciências Naturais pela Universidade de Durham e colabora como realizadora de documentários com a BBC, o Channel 4 e o Discovery Channel. Este seu romance de estreia, A Dança das Borboletas, foi finalista do Costa Book Awards para primeiro romance e foi alvo de rasgados elogios da crítica literária, tendo a sua escrita sido comparada às de Patricia Highsmith e A.S. Byatt. Vive em Londres com o marido e os três filhos.

Opinião
Um livro que passa despercebido, com uma capa pouco apelativa e de uma autora desconhecida… mas ao ler a sinopse, convenci-me que seria uma leitura diferente e agradável. Adquiri o livro mas só a quarta tentativa é que consegui terminar a sua leitura, dai ser-me difícil escrever sobre ele.

Ginny é a narradora desta história, uma personagem enigmática, extraordinária, especial, peculiar, obcecada com a organização, com os relógios e o tempo, com muitas dificuldades de integração na sociedade, que vive sozinha numa casa enorme, que não comunica com ninguém, não sai de casa, não entra em muitas divisões da sua casa á muitos anos… Fiquei sem perceber se Ginny não teria mesmo alguma deficiência… Ginny narra-nos uma história inquietante, recheada de insegurança, duvidas, segredos… Mas a sua narração é tão próxima e íntima do leitor, que este acredita que possa ter sido real. Uma obra com uma grande componente psicológica.

Além de Ginny, temos a Vivien sua irmã. Que já não entrava na casa de família a 47 anos. O leitor é informado de todos os detalhes deste reencontro de irmãs. Apesar da obra se centrar mais nas revelações do passado, infância, adolescência, vida amorosa, vida familiar, defeitos e virtudes… destas irmãs e dos seus Pais.

No momento em que o leitor vê Ginny como uma mulher infeliz que sempre viveu em detrimento da felicidade dos outro e Vivien, como a lutadora, modernaça, que sempre lutou pelos seus objectivos… chega à reta final da sua leitura e descobre que a mulher insegurança, diferente, esquisita, que era Ginny, tem uma força brutal e não era assim tão ingénua, como parecia.

Ginny estudava a comportamento das traças, era uma lepidóptera, todas as informações, relatos, experiencias sobre as traças e as borboletas é simplesmente magnifica. Poppy Adams está realmente de parabéns, por partilhar com o leitor, este vasto conjunto de informações. Para mim foi o aspecto positivo desta leitura, toda esta paixão pela profissão, narrada de uma forma muito diferente e invulgar.

Leitura realizada em Agosto/2011
Classificação: 3/7 Razoável

LEPIDÓPTEROS (curiosidade)


"As borboletas são, possivelmente, os insetos mais vistosos, mais ornamentais, mais apreciados pela beleza das asas, mais citados pela literatura poética, mais impressos, pintados e desenhados, mais úteis para polinização e, paradoxalmente, mais massacrados pelo homem. Seja para confeccionar adornos de discutível gosto para vender a turistas, ou espetar alfinetes e “colecioná-los” sem qualquer critério; seja pelo nefando hábito de matar as lagartas do bicho conhecidas como, taturanas e mandorovás e bichos-cabeludos, os pobres insetos servem aos instintos mórbidos e ganância comercial humanos numa escala sem precedentes e, pior, sem terem “culpa no cartório”. Sempre que vejo alguém eliminando lagartas das plantas pergunto o porquê e, quase sempre a resposta é porque são nocivas, feias, prejudiciais. Quando pergunto se a pessoa gosta de borboletas a resposta, invariavelmente é sim." (Continuação)

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

"A Árvore dos Segredos"


A Árvore dos Segredos
de Sarah Addison Allen
Quando descobrimos o poder duradouro da amizade e do amor

Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 280
Editor: Quinta Essência

Sinopse
Sarah Addison Allen dá-nos as boas-vindas a uma nova povoação: Walls of Water, na Carolina do Norte, onde os segredos são mais espessos do que o nevoeiro das famosas quedas-d’água da cidade, e as superstições são, de facto, reais. Willa Jackson vem de uma antiga família que ficou arruinada gerações antes. A mansão Blue Ridge Madam, construída pelo bisavô de Willa durante a época área de Walls of Water, e outrora a mais grandiosa casa da cidade, foi durante anos um monumento solitário à infelicidade e ao escândalo.

E a própria Willa há muito se esforçou para construir uma vida para lá da sombra da família Jackson. Não é tarefa fácil numa cidade moldada por anos de tradição e com fronteiras bem demarcadas entre ricos e pobres. Mas Willa soube há pouco que uma antiga colega de escola – a elegante Paxton Osgood - da abastada família Osgood, restaurou a Blue Ridge Madam e a devolveu à sua antiga glória, tencionando transformá-la numa elegante pousada. Talvez, por fim, o passado possa ser deixado para trás enquanto algo novo e maravilhoso se ergue das suas cinzas.

Mas o que se ergue, afinal, é mais um segredo que gira à volta de algo encontrado sob o solitário pessegueiro da propriedade. Setenta e cinco anos antes, o carismático vendedor ambulante Tucker Devlin, exerceu os seus encantos sombrios em Walls of Water, e deixou a sua marca. Quem terá ele sido realmente? E por que motivo estão de repente a acontecer coisas estranhas em toda a cidade? Agora, unidas numa improvável amizade e por um enorme mistério, Willa e Paxton tem de confrontar as paixões perigosas e as trágicas traições que outrora uniram as suas famílias e descobrir a verdade acerca dos antepassados que transcenderam o tempo e desafiaram a sepultura para tocar os corações e as almas dos vivos.

A Árvore dos Segredos é uma história sobre o poder profundo e duradouro da amizade, do amor e da tradição, e um retrato dos laços inquebráveis que – nos bons e nos maus momentos, de uma geração para a seguinte – duram para sempre.

Imprenssa
«Allen habituou-nos a escrever bons romances; o seu último livro continua essa tendência... As interações, o diálogo e o ritmo mantêm o leitor intrigado e a virar as páginas até ao fim. Sendo um estudo sobre as relações das mulheres e os laços da amizade, do amor e da comunidade, esta é uma história que vale a pena levar para a cama e ficar a noite toda a ler.»
Romantic Times

«Allen demonstra mais uma vez neste delicioso livro a sua espantosa capacidade de unir de forma credível as fronteiras entre o mágico e o mundano.»
Booklist

«Apaixonei-me pela escrita de Sarah Addison Allen e pelo mundo que ela descreve.»
Luanne Rice

«Uma leitura verdadeiramente deliciosa.»
Sun News
Sarah Addison Allen é autora dos êxitos de venda O Jardim Encantado, O Quarto Mágico e O Feitiço da Lua. Nasceu e cresceu em Asheville, na Carolina do Norte. Os direito de O Jardim Encantado, a sua obra de estreia, foram cedidos para 15 países e só nos Estados Unidos venderam-se mais de meio milhão de exemplares. O livro foi distinguido com o prémio SIBA Novel of The Year, atribuído pela Associação de Livreiros Independentes do Sul ao melhor romance de 2008. Em Portugal, O Jardim Encantado foi igualmente um êxito, com mais de 10 mil livros vendidos. O Quarto Mágico foi eleito, em 2009, Romance Feminino do Ano, referente a 2008, pela revista Romantic Times.

Para mais informações visiteopinião sobre obras da autora: O jardim Encantado; O quarto mágico; O feitiço da lua
video
Opinião
Com “O Jardim Encantado” fui seduzida pela escrita de Sarah Addison Allen, seguiu-se “ O Quarto mágico” e “O Feitiço da Lua”, leituras que me envolveram, fascinaram e encantaram, sempre em ambientes mágicos, com cheiros e sabores deliciosos e recheados de personagens ternas, carinhosas e sensíveis.
“A Árvore dos Segredos” não podia fugir à regra. É um conjunto de magia, encantos com uma escrita maravilhosa, bonita, subtil, elegante, viciante e carinhosa, que nos consegue seduzir e cativar logo nas primeiras páginas e ao virar a ultima, sentimos uma grande lufada de ar fresco com cheirinho a pêssego. Só se descansa quando se chega ao fim, tal é a afinidade que a autora consegue criar com o leitor. Uma leitura sôfrega recheada de muito humor e muita reflexão.
Uma obra composta por personagens muito bem construídas, fortes num ambiente repleto de sensações que decorre numa pequena localidade de Walls of Water onde encontramos Willa Jackson (perfeita e pobre) e Paxton Osgood (rebelde e rica). A restauração da famosa casa Blue Ridge Madam e a realização de uma gala nessa mesma casa é o fio condutor para desenterrar, desenvolver e desvendar segredos e mistérios muito antigos. Segredos com cerca de 75 anos que vão alterar a vida de Willa e Paxton e de muitos outros habitantes.

Uma história que foca o amor e a paixão, mas onde o principal sentimento é sem dúvida a amizade, amizades antigas, novas amizades e principalmente a manutenção e o reforço de uma grande amizade para que não caia no esquecimento. Sarah relembra-nos que a vida é composta por pequeninhas coisas sendo a amizade algo muito importante na vida de todos nós. Um livro que contem uma mensagem especial, como todos os outros da autora.
Uma leitura sôfrega recheada de muito humor e muita reflexão, ideal para o verão, tal é a sua frescura e leveza.

Leitura realizada em Julho/2011
Classificação: 5/7 Muito Bom

terça-feira, 2 de agosto de 2011

"Perfume de Paixão "

Perfume de Paixão
de Jude Deveraux
E se descobrisse que o seu noivo não era quem afirmava ser

Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 392
Editor: Quinta Essência

Sobre a obra:
Noiva do encantador e sedutor Greg Anders, Sara Shaw mal consegue esperar pelo dia do seu casamento em Edilean, na Virgínia. A data foi marcada, as flores encomendadas e o seu vestido, já usado por várias gerações de noivas da família, está pronto. Mas apenas três semanas antes do dia do casamento, Greg recebe um telefonema durante a noite e sai sem dar qualquer explicação. Dois dias mais tarde, um homem aparece através de um alçapão no soalho da casa de Sara, afirmando que é o irmão da sua melhor amiga e informando-a que se vai mudar para casa dela.
Embora Mike Newland esteja realmente a dizer a verdade sobre a sua identidade, a razão que o levou ali tem muito mais que se lhe diga. É um detective que trabalha infiltrado; a sua missão é usar Sara para descobrir o paradeiro de uma mulher — uma das criminosas mais notórias dos Estados Unidos — que, por acaso, é a mãe do homem com quem Sara tenciona casar.

Mike acredita que a investigação não será difícil — isto é, caso consiga arranjar maneira de fazer com que uma jovem de «boas famílias» como Sara confie em si. No entanto, Mike não faz a mais pequena ideia do que aquela missão lhe reserva. Esforçou-se ao máximo para esconder as suas ligações a Edilean, as quais remontam ao tempo em que a sua avó vivera naquela localidade, em 1941. Mas à medida que Mike e Sara se vão conhecendo, ele não consegue evitar partilhar segredos que nunca tinha partilhado com ninguém. Ela retribui confidenciando a Mike aspectos da sua vida que jamais teria revelado a Greg. Enquanto trabalham juntos para resolverem os dois mistérios, o amor crescente que desabrocha entre os dois começa a sarar cicatrizes de uma forma que nunca teriam imaginado ser possível.

Com Perfume da Paixão Jude Deveraux continua a série centrada em Edilean, que teve início com Jardim de Alfazema

«Jude Deveraux é uma exímia contador de histórias, e os seus livros estão repletos de emoção e aventura, tornando-a uma das mais populares escritoras de romances da actualidade. Perfume da Paixão não foge à regra. Com personagens fortes, um encanto discreto e uma intrigante história, os fãs vão gostar de ter mais notícias dos habitantes de Edilean»
Times Record News

«Mais um romance que prende os leitores e os deixa com um sorriso nos lábios.»Booklist

«Qualquer romance de Deveraux é sempre agradável
E consegue prender a atenção dos leitores.»
The Advocate

«A escrita de Jude Deveraux é encantadora e requintada.»Book Page


Jude Deveraux nasceu em 1947 em Fairdale, Kentucky. Licenciou-se em Arte na Universidade de Murray. Foi professora durante alguns anos, antes de se dedicar exclusivamente à escrita. Actualmente vive na Carolina do Norte.

Obras editadas em Portugal:
Alguém para Amar
Jardim de Alfazema
Perfume da Paixão

Opinião:
Em Perfume da Paixão, Jude Deveraux apresenta-nos Sara, muito querida e estimada por todos os habitantes de uma pequena cidadezinha, onde as bisbilhotices são uma constante, mas onde todos se entreajudam como uma grande e numerosa família. Sara está comprometida com um homem, antipático, arrogante, que ninguém gosta, mas que todos acabam por aceitar por ser o noivo de Sara, que passaram a encarar como frágil, após ter sido abandonada pelo seu anterior namorado.
Também nos é apresentado o admirável e encantador Mike, que é enviado a pequena cidade de Edilean para investigar o paradeiro de uma mulher, considerada uma pessoa perigosa. A irmã de Mike vive em Edilean e é também uma grande amiga de Sara. A imaginação da autora para aproximar Mike de Sara é de louvar, são momentos de leitura muito divertidos. Sara é a pessoa que Mike tem de proteger acima de tudo e de todos. Uma pessoa com uma fraca autoestima, que ao longo da história, vai-se tornando forte, lutadora, decidida e segura de si. Juntos vão conseguir desvendar muitos segredos à medida que lutam para sobreviver.

Um livro que sabe cativar o leitor, com um enredo encantador, com muita dinâmica e interajuda muito realçada ao longo de cada página. Uma história que sabe manter o interesse no leitor do início ao fim, muito bem estruturada. Claro que não é uma obra-prima, mas muito agradável e ideal para as tardes de verão.
Como já referi a história passa-se numa pequena cidade “Edilean”, a mesma cidade de Jardim de Alfazema. As histórias não têm qualquer ligação entre si, simplesmente se desenrolam na mesma cidade e nesta última obra temos conhecimento da atual vida de Jocelyn da obra Jardim de Alfazema onde Jude Deveraux retratou paixões, intrigas e segredos dando início a uma extraordinária série centrada em Edilean. Que chegue brevemente o terceiro livro desta série encantadora.

Leitura realizada em Julho/2011
Classificação: 5/7 Muito Bom