sábado, 31 de dezembro de 2011

Balanço de 2011


1 - Lua-de-Mel em Paris de Elizabeth Adler - 3/7 Razoavel
2 - A Prenda de Cecelia Ahern - 4/7 Bom
3 - Segredos do Passado de Deborah Smith - 6/7 Excelente
4 - O Beijo da Meia-Noite de Lara Adrian - 5/7 Muito Bom
5 - A Casa da Rua da Esperança de Danielle Steel - 4/7 Bom
6 - Vento Suão de Rosa Lobato de Faria - 5/7 Muito Bom
7 - Onde Está o Branco em Ti? de Ricardo Antunes - 5/7 Muito Bom
8 - As Gémeas no Colégio de Santa Clara de Enid Blyton - 3/7 Razoável
9 - Feitiços de Amor de Barbara Bretton - 4/7 Bom
10 - Os Náufragos do Amor de Rui Araújo - 3/7 Razoável
11 - Uma Noite em Nova Iorque de Tiago Rebelo - 3/7 Razoável
12 - Para Ti, Uma Vida Nova de Tiago Rebelo - 4/7 Bom
13 - Milagre em Nova Iorque de Luanne Rice - 5/7 Muito Bom
14 - Uma Rapariga dos Anos 20 de Sophie Kinsella - 5/7 Muito Bom
15 - Amor e chocolate de Dorothy Koomson - 4/7 Bom
16 - Perfume de Paixão de Jude Deveraux - 5/7 Muito Bom
17 - A Árvore dos Segredos de Sarah Addison Allen - 5/7 Muito Bom
18 - A Dança das Borboletas de Poppy Adams - 3/7 Razoável
19 - O Beijo Carmesim de Lara Adrian - 5/7 Muito Bom
20 - A Ilha dos desencontros de Anita Shreve - 4/7 Bom
21 - Educar sem Bater de Luís Maia - 6/7 Excelente
22 - A Cor da Paixão de Sveva Casati Modignani - 6/7 Excelente
23 - Escândalo de Penny Vincenzi - 5/7 Muito Bom
24 - A Siciliana de Sveva Casati Modignani - 5/7 Muito Bom

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

"A Siciliana "


A Siciliana
Sveva Casati Modignani
Nº págs.: 384

Ela era uma donna d’onore. Ou seja, tinha a Máfia no seu passado…
Na Sicília, uma enigmática freira dá a um jornalista uma entrevista reveladora. O seu nome é Nancy Pertinace e, antes de desaparecer nos confins daquela ilha, era uma das mulheres mais famosas de Nova Iorque, cidade onde contava poder vir a ser mayor. Mas no seu passado pesa a longa sombra da Máfia e no seu presente nem tudo parece claro…
Filha, amante, assassina e mãe, Nancy acaba por descobrir que é impossível fugir aos fantasmas do passado e que terá de enfrentar toda uma história de paixão, intriga e vingança… caso queira tomar de novo as rédeas do seu destino.

A Porto Editora reeditou este livro de sucesso de Sveva Casati Modignani que chegou às livrarias no dia 4 de agosto de 2011.
Este romance, que já foi adaptado à televisão, apresenta-nos Nancy Pertinace. Com uma narrativa empolgante, repleta de emoções fortes.

Sobre a autora:
Reconhecida como a signora do bestseller italiano, com 11 milhões de exemplare vendidos, Sveva Casati Modignani está traduzida em 17 países e é hoje uma das autoras mais populares em Portugal. No catálogo da Porto Editora figuram já os seus romances Feminino Singular, Baunilha e Chocolate, O Jogo da Verdade, Desesperadamente Giulia e O Esplendor da Vida.

Sobre a obra:
Numa pequena vila siciliana, um jornalista pede uma entrevista a uma freira, ela é Nancy Pertinace, outrora figura pública de Nova Iorque e candidata a mayor da cidade. Ao longo de vários dias, Nancy fará revelações surpreendentes sobre o seu passado e sobre os motivos que a levaram a refugiar-se nos confins daquela ilha.
Nancy Pertinance relata que, viu o seu pai ser morto na vez de Frank Latella, um dos grandes nomes da Máfia. Jura vingança pela morte injusta de seu pai. Quase sem querer é acolhida pela família Latella onde cresce e conhece o amor da sua vida. Torna-se numa mulher de princípios, que promete o que cumpre. Apaixona-se perdidamente por Sean, um irlandês bem conhecido no mundo mafioso, desconhecendo que fora ele o assassino de seu pai.
Porém, nem sempre o que é revelado é absoluto e há mais sombras no seu presente do que se possa imaginar….
Classificação: 5/7 Muito Bom

"Escândalo"

Escândalo
de Penny Vincenzi
Edição/reimpressão: 2008
Editor: Edições Asa

Sinopse
Uma história de ascensão e queda, de paixão e abandono, capaz de abalar todas as nossas convicções sobre a vida e sobre nós próprios. Afinal, tem a certeza que sabe como se comportaria se a sua vida mudasse drasticamente? Se o seu futuro estivesse em perigo? Pode, com toda a convicção, dizer o que faria se perdesse tudo?
"Quem poderia imaginar que a conduta de uma empresa, que era, na generalidade, considerada íntegra e nobre, levaria tantas pessoas a uma situação de tanta angústia e até de perigo?"



Penny Vincenzi é uma das mais populares e estimadas escritoras britânicas. Foi jornalista, colaborando em publicações como The Daily Mirror, The Times, Vogue e Cosmopolitan, entre outras, antes de se dedicar à escrita a tempo inteiro. O seu primeiro romance, Old Sins, foi publicado em 1989, tendo ao longo destes 20 anos construído uma carreira literária de sucesso – os seus livros já venderam mais de quatro milhões de exemplares.
No catálogo da Porto Editora encontram-se publicados os títulos
Cruel Abandono (2009),
O Jogo do Acaso (2010) e
Uma Mulher Diferente (2011).
site da autora

opinião:
Quando pensei em estriar-me nesta autora, resolvi começar pela primeira obra editada em Portugal. Adquiri o livro, XXL por sinal e pensei… vou demorar uma eternidade a ler este livro. No início fiquei muito baralhada com a quantidade de personagens, mas com o decorrer da leitura, todas se foram encaixando. As primeiras páginas são muito descritivas. Todas as personagens são apresentadas, é dado a conhecer ao leitor as suas profissões, as suas famílias e os seus bens matérias, de seguida é o cair das contas bancarias algumas desavenças familiares. Ler este livro, foi como, assistir a uma novela, varias histórias, maneiras diferentes de pensar e de encarrar o dia-a-dia e a realidade. A história vai ganhando asas, o entusiasmo no leitor vai aumentando. O leitor chega a ser confrontado com acontecimentos inesperados, que o levam a acreditar que são irreais até ao final da leitura. Foi a minha estreia, mas não será a ultima, gostei imenso e fez-me refletir muito no dia-a-dia, principalmente nos bens matérias e no consumismo…

classificação: 5/7 Muito Bom

domingo, 4 de dezembro de 2011

" A Cor da Paixão"

A Cor da Paixão
de Sveva Casati Modignani
Edição/reimpressão: 2006
Páginas: 400
Editor: Edições Asa
Coleção: Romance

Uma história intensa e vibrante, dominada por uma protagonista corajosa e inesquecível.
 
Vermelho coral: uma cor que fala de paixão. Como aquela que percorre esta história intensa, dominada por uma protagonista determinada a concretizar os seus sonhos sem se trair a si própria. Na Milão do pós-guerra, Liliana Corti e os seus três irmãos crescem no seio de uma família singularmente unida. Dos pais aprendeu a manter a dignidade e a reivindicar os seus direitos numa sociedade que menospreza os seus elementos mais fracos. No entanto, os tempos estão a mudar e rapidamente chegam os anos do boom económico, da contestação, os dias negros do terrorismo, das relações privilegiadas entre a política e os negócios…

Liliana, com empenho e sacrifício, constrói uma carreira profissional brilhante, que consegue conciliar com a vida familiar graças à ajuda do marido, um homem carinhoso, compreensivo e disponível. O que não a impede de, por um momento, acalentar a ideia de se entregar a outro homem, e sentir na própria pele a loucura brutal dos que pretendem mudar o mundo pela força das armas. Assiste, desorientada, ao fim da sua longa carreira, mas, uma vez mais, consegue sair vencedora dessa batalha. Com alguma sorte e muita força de vontade, também os seus irmãos conseguiram triunfar na vida…. Mas a verdadeira força dos Corti está na sua coerência intelectual, reforçada pelos valores que lhes foram inculcados desde cedo e que serão decisivos nos seus destinos.

Relatando uma vida vivida com coragem, através de relações de amor e ódio, de momentos de fragilidade e coragem, de acontecimentos passados na história recente de Itália, Sveva Casati Modignani constrói mais um grande romance com um forte impacto narrativo, capaz, ao mesmo tempo, de comover os leitores e de os fazer reflectir e sonhar.

Sveva Casati Modignani
Reconhecida como a signora do bestseller italiano, Sveva Casati Modignani é exímia em presentear os seus leitores com histórias repletas de enredos femininos e envolventes.
As suas obras estão traduzidas em 17 países e já venderam mais de dez milhões de exemplares.

Obras da autora:
Bibliografia ASA
1 - 6 de Abril ‘96
2 - Baunilha e Chocolate (atualmente da Porto Editora)
3 - A cor da Paixão
4 - Desesperadamente Giulia (atualmente da Porto Editora)
5 - Lição de Tango
6 - Qualquer Coisa de Bom
7 - A Siciliana (atualmente da Porto Editora)
8 - Uma Chuva de Diamantes
9 - A Viela da Duquesa
Bibliografia Porto Editora
10 - Feminino Singular
11 - O jogo da Verdade
12 - O Esplendor da Vida
13 - 'MISTER GREGORY', o mais recente romance de Sveva Casati Modignani

facebbok

Opinião
Sveva na “Cor da paixão” dá-nos a conhecer a família Corti, desde os pais até cada um dos seus filhos, dando particular enfâse a Liliana Corti, uma filha, irmã, mulher de muita coragem, que luta com todas as suas armas e sabedoria para vencer. Consegue destacar-se muito bem no seu trabalho, conseguindo mesmo alcançar grandes feitos. Constrói uma carreira profissional recheada de êxitos, que sabe conciliar na perfeição com a sua familiar. Uma história que nos faz sonhar e acreditar que é possível concretizar alguns dos nossos maiores sonhos.
Mais uma vez a autora conseguiu surpreender, pela sua escrita, pelo enredo da história, pela capacidade com que me envolvi, e a pelas magníficas personagens. Uma história de ódios, desilusões, amores, desencontros… mas acima de tudo, composta por pessoas respeitáveis, lutadoras, dignas, amigas, unidas. Uma família digna de todo o respeito e consideração, com valores incuta-dos desde muita tenra idade, que são fundamentais no percurso das suas vidas e destinos.

Leitura realizada em Outubro/2011
Classificação 6/7 Excelente

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

"Educar sem Bater"

Educar sem Bater
Um guia prático para pais e educadores

de Luís Maia
Edição: 2011
Páginas: 208
Editor: Pactor

Sinopse:
Recorrendo a exemplos e casos práticos reais, este livro propõe estratégias educativas para gerir os conflitos e comportamentos desadequados das crianças sem recorrer a castigos físicos e psicológicos.
Numa época em que cada vez mais se fala da Disciplina Positiva como a forma mais eficaz e equilibrada de educar os nossos filhos e educandos e em que se chegou à conclusão que as estratégias centradas nos castigos físicos e psicológicos estão condenadas ao fracasso, era imperativo publicar-se este livro. Através dele, o leitor aprenderá a gerir os conflitos e comportamentos desadequados dos filhos e educadores. Tomará contacto com exemplos de estratégias educativas inadequadas, centradas em castigos físicos e psicológicos (os mais frequentes na lide de criar/educar uma criança/adolescente) e que quase sempre envolvem o Ministério Público, a Assistência Social, a CPCJ e as Forças Policiais.
E conhecerá ainda uma série de sugestões para lidar, de forma adequada, com todas as situações de conflito e que poderão ir de meras desautorizações aos pais a situações de maus-tratos. Trata-se de um livro dirigido a pais e educadores, que parte de exemplos e casos práticos e reais, recolhidos ao longo dos últimos anos de prática clínica do autor, e que convida qualquer leitor a reflectir sobre o que não deve fazer e sobre o que poderá tentar fazer para educar sem bater.

Ao longo do livro são abordados, entre outros, os seguintes temas:

■Comportamentos adequados
■Estilos parentais / prática parental positiva
■Gestão comportamental infantil
■Rejeição de castigos físicos
■Punições, reforços e recompensas
■Assertividade
■Mecanismo da negação

primeiras páginas aqui

Autor:
Com um vasto currículo na área, o docente da UBI é ainda coordenador do Grupo de Estudos em Avaliação e Reabilitação Neuropsicológica da Universidade da Beira Interior (GEARNeurop).
Luís Alberto Coelho Rebelo Maia é neuropsicólogo clínico e forense, professor auxiliar da Universidade da Beira Interior, pós graduado em Ciências Médico-Legais, licenciado em Psicologia Clínica, mestre em Neurociências e doutorado em Neuropsicologia Clínica pela Universidade de Salamanca.

Gabinete de Neuropsicologia Professor Doutor Luis Maia - Blogue

3 perguntas ao autor (daqui)
1-De que trata este seu livro “Educar sem Bater”?
R-O livro pretende mostrar que a aplicação de métodos suportados na Disciplina Positiva é a forma mais eficaz de educar as crianças. As principais estratégias baseiam-se no Amor firme, o estabelecimento de limites bem conhecidos entre pais e filhos (não se defende permissividade, nem se coloca em causa que pais e filhos devam ser os melhores amigos, todavia, no processo de desenvolvimento infanto-juvenil, a responsabilidade de educar é dos pais e por isso a amizade e o carinho devem passar-se para a relação dos afectos, mas manter-se a firmeza na regulação e implementação das regras, que não podem de forma alguma ser quebradas. Em termos disciplinares, as estratégias que mais funcionam são os reforços positivos dos bons comportamentos e os reforços negativos quando a criança consegue interromper comportamentos inadequados. A ideia central não é mimar a criança, mas sim dotá-la de ferramentas de auto-regulação do seu próprio comportamento, de forma positiva, afectuosa e tranquila.
Há ainda uma questão central que se relaciona com o papel do exemplo dos pais. Pelos mecanismos de Aprendizagem Social, uma criança aprende, essencialmente nos primeiros anos de vida, através da imitação dos comportamentos dos seus modelos, que na maioria das vezes são os pais. Assim, a disciplina positiva centra-se muito também num esforço de psico - educação de pais e educadores para serem eles próprios exemplos de “boa conduta” para os seus filhos.

2- De forma resumida, qual a principal ideia que espera conseguir transmitir aos seus leitores?
R- Julgo que o ponto de partida, quando os conflitos já ultrapassam o que deveria ser minimamente aceitável como “conflito comum” é procurar uma base de segurança para se iniciar uma nova forma de comunicação familiar (a ideia é que se os conflitos chegaram a um nível disfuncional, não se deve manter o mesmo nível de comunicação familiar que os levou a esse mesmo ponto.
Assim, algumas famílias conseguem organizar-se sem apoio de técnicos especializados no sentido de melhorar os canais de comunicação familiar. Outras necessitam mesmo de recorrer a terapeutas especializados que permitem, numa primeira fase, funcionar como força de desbloqueio comunicacional.
Grande parte dos conflitos familiares assenta numa comunicação insuficiente e mergulhada em vícios de forma: evitar assuntos críticos, criar tabus, delegar assuntos relevantes para um dos pais (como por exemplo, a sexualidade ser abordada pela mãe se a criança for uma menina e pelo pai se for um rapaz, etc.).
O que eu sugiro é que a comunicação seja a palavra de ordem no equilíbrio relacional familiar, desde que se respeitem as vontades e o direito à intimidade individualidade de cada um dos envolvidos.

3-O seu livro destina-se, claramente, a pais e educadores: o que lhes recomenda para as suas múltiplas tarefas de educar sem bater?
R- Esta é uma das questões mais recorrentes que me são colocadas. Se repararem, a própria questão parece remeter para o facto de não haver outras formas de controlar o comportamento infantil que não seja pela disciplina punitiva ou mesmo os castigos. Nem mesmo é necessário cair na permissividade. Com o tempo, com a minha experiência como pai e terapeuta, aprendi a dividir as estratégias educativas em duas grandes partes: as destrutivas e as construtivas. Nas destrutivas estão toda a gama de castigos já aqui referidos, bem como a indiferença, a permissividade, etc. Nas construtivas estão as estratégias defendidas nesta obra (Educar Sem Bater), que apostam na disciplina positiva. Já repararam que, na maioria das vezes, quando se diz que um filho tem que ser disciplinado, pensa-se imediatamente em castigos? O que eu pergunto é: porque é que tem que ser assim? A disciplina é o método pelo qual uma criança interioriza os valores, princípios e regras com os quais tem que contar para lidar adequadamente em sociedade. Um pai que não consiga encontrar uma forma de ensinar isso aos filhos sem ser permissivo ou agressivo deve, na minha humilde opinião, procurar ajuda de um técnico especializado!
No que toca ao estabelecimento de limites, não pode haver uma resposta única a esta pergunta. Qual o limite para deixar uma criança “esticar a corda” no sentido da conquista do seu espaço? Qual o limite para aceitar que uma criança experimente “coisas” com que os pais não concordam plenamente? Qual o limite para que a criança se coloque em situações de risco de sofrer pequenos ferimentos e com isso aprenda que da próxima vez não deva se colocar nas mesmas condições?
A resposta está no bom senso dos pais. Ajudar a criar não é superproteger para evitar a todo o custo que a criança possa sofrer ou magoar-se. Antes sim é permitir um crescimento autónomo onde a criança experimenta os seus próprios limites, supervisionados pelos pais, e perceba quais são os que são edificantes para a sua personalidade e aqueles que são ameaçadores e por isso deve evitar.

Para finalizar, refiro que as principais estratégias educativas atuais baseiam-se no conceito de “Auto – Regulação”. A criança deve ser incentivada a aprender quais as suas capacidades de se auto regular: ou seja, dizer sim ou não, de acordo com aquilo que conseguem interpretar adequadamente da realidade à sua volta, e não apenas reagir de forma acéfala, impulsionada pelos seus impulsos mais primitivos e pueris. À medida que a criança se vai desenvolvendo como indivíduo, vai sendo capaz de decidir por si própria e, muito importante, arcar com as consequências das suas escolhas. Assim, os pais e educadores devem incentivar a capacidade de autonomia, decisão, auto-regulação e gestão das consequências das opções, atitudes e ações de cada criança.

Termino dizendo mesmo: Os pais e educadores têm que voltar a saber dizer NÃO!
Eu diria mesmo que uma criança deve ser educada para que a criança saiba que a resposta para um seu desejo seja SIM e a resposta para outro desejo seja NÃO. O aprender a lidar com os “Nãos” que os pais e a vida vão apresentando às crianças vão-na fortalecendo e desenvolvendo uma característica humana que se pretende desenvolver numa criança: a capacidade de resistência à frustração, que representa justamente a necessidade de a criança ir-se desenvolvendo a saber que há “coisas” que quereria ter ou fazer, mas que não pode ter ou fazer. Isso desenvolve maturidade e capacidade de sofrimento. Mais tarde, como adulto, será fundamental para aceitar as coisas que tem que fazer por obrigação, ou por necessidade, ou porque num dia simplesmente não tem vontade de fazer, mas que não pode balizar a sua vida pela sua vontade ou não de fazer. Assim, o Não, é fundamental para a construção de um “EU” que aceita que a vida não gira à volta da vontade de cada indivíduo e é necessário muito sacrifício para a satisfação das necessidades e vontades individuais.
Opinião
Um livro que me fez e faz companhia em noites de muitas dúvidas, questões, angustia….
Às vezes deparamo-nos com situações que nos levam a pensar que somos os piores Pais do mundo. Queremos ajudar os nossos filhos a serem felizes e não conseguimos. Ninguém nos entende, todos apontam o dedo e criticam os nossos comportamentos e principalmente os comportamentos e atitudes dos nossos filhos, fazem dos nossos filhos os piores do mundo, uns monstrinhos. Ficamos sem forças, sem respostas, sem argumentos…
Sei por experiencia própria que dar uma palma na hora certa, não resolve em nada a situação, muito pelo contrário só piora. Se não resolver a bem, com muito diálogo, paciência, clama…. Confesso que esta atitude não foi sempre a praticada, também dei algumas palmadinhas, que como muitos pais, pensava que era o mais adequado e apropriado. Hoje, sei que não foi a atitude certa….


Quando se lida com uma criança POD, em que saber dizer um “Não”, de forma, a que criança entenda e aceite, é das tarefas mais difíceis no dia-a-dia de uma mãe. Ler este livro, ajudou-me a ter esperança, confiança e lutar.
O livro está recheado de exemplos, de situações do dia-a-dia das crianças, de birras, amuos… e de soluções e formas de como agir. Um livro a manter na mesinha de cabeceira, para consultar e desfolhar nos próximos tempo.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

"A Ilha dos desencontros"

A Ilha dos desencontros
de Anita Shreve
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 240
Editor: Porto Editora
Idioma: Português

Sinopse
«Pergunto a mim própria: se uma mulher for levada ao limite, como reagirá?»


A pergunta é feita por Jean, uma fotógrafa, que em 1995 chega à ilha de Smuttynose, ao largo da costa do Maine, para fazer uma reportagem sobre um crime que aí teve lugar cem anos antes. Com ela viajam o marido, a filha de cinco anos, o cunhado e a respectiva namorada.
À medida que vai mergulhando nos detalhes daquele acontecimento - um caso de paixão que resultou na morte de duas mulheres -, ela própria entra num terreno perigoso, dominada por emoções contraditórias. A suspeita de que o marido tem um caso desencadeia um ciúme incontrolável e uma desconfiança que acabam por levar Jean ao limite das suas emoções e a comportamentos de que nem ela própria suspeitava ser capaz.

Em A Ilha dos Desencontros, Anita Shreve, baseando-se num facto real - o assassínio de duas mulheres que ainda hoje continua por desvendar -, leva-nos através de uma viagem inesquecível até aos limites mais extremos da alma humana.

1ª Páginas
Anita Shreve Natural do Massachusetts, onde ainda hoje reside, Anita Shreve formou-se na Tufts University, foi professora e acabou por enveredar pelo jornalismo após uma das suas histórias ter ganho o O. Henry Prize, em 1975, escrevendo então artigos para revistas como a Quest, Us e Newsweek. Mais tarde, publicou dois livros de não ficção a partir de artigos publicados na The New York Times Magazine. Em 1989 abandonou o jornalismo e dedicou-se apenas à literatura, alcançando um grande sucesso internacional – as suas obras venderam já mais de 7 milhões de exemplares em todo o mundo. Em 1998, recebeu o PEN/L.L. Winship Award e o The New England Book Award para ficção.
No catálogo da Porto Editora figuram os romances
Testemunho (2010) e
A Ilha dos Desencontros (2011).

Imprensa:
Arrebatador... um dos livros mais tocantes de Anita Shreve.
San Francisco Chronicle

Uma história fascinante... Anita Shreve explora temos como o adultério, o ciúme, o crime passional, o incesto, a negligência e a perda... criando uma tensão quase insuportável. Um romance perturbador.
New York Times Book Review

Uma profunda e bem conseguida indagação sobre a devastação do amor.
Los Angeles Times

Um extraordinário relato sobre os aspectos mais sombrios do amor... A narrativa é electrizante, a escrita igualmente poderosa.
Milwaukee Journal Sentinel

Opinião
Autora, de um dos meus livros favoritos “A Praia do Destino”, é sempre uma maravilha pegar em mais uma obra de Anita Shere para saborear. A autora tem o dom de nos descrever momentos marcantes, chocantes, dramáticos, num tom de escrita bastante calma e reconfortante.
“A Ilha dos desencontros” não foi das melhores leituras. Achei muitas vezes a narrativa e o desenrolar da história, maçadora, monótona, sem interesse, apesar de na parte final ter sido mais ritmada, com algum empolgamento e ação. Continuo achar que teve várias passagens desinteressantes. O que mais me empolgou nesta leitura, não foi o romance ou supostos romances, mas sim o desvendar de um crime macabro, ocorrido há cem anos. Conhecemos e percebemos as vidas das mulheres assassinadas assim como a vida de Maren, uma das personagens chave de todo este misterioso assassinato.
Jean, a jornalista que investiga este crime, e que nos relata todos os pormenores e acontecimentos, também vai viver nesta viagem as Ilhas Shools, muitos momentos de contradições, em relação a si mesma e com o seu atual relacionamento.

Leitura realizada em Agosto/2011
Classificação 4/7 Bom

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

"O Beijo Carmesim"

O Beijo Carmesim
de Lara Adrian
título original: Kiss of Crimson

Unidos pelo sangue e por segredos sombrios, entram num mundo de perigos e prazer infinito...

Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 368
Editor: Quinta Essência

Sinopse
Ele chega até ela mais morto que vivo, um enorme estranho vestido de preto, crivado de balas e a perder muito sangue. Enquanto luta para salvá-lo, a médica veterinária Tess Culver não faz ideia de que o homem que se chama Dante não é totalmente humano, mas um membro da Raça, guerreiros vampiros envolvidos numa batalha desesperada. Num momento único e carregado de erotismo, Tess é lançada no mundo dele - um lugar perigoso e sombrio onde vampiros Renegados vagueiam na noite trazendo o terror.
Assombrado por visões de um futuro obscuro, Dante vive e luta como se não houvesse amanhã. Tess é uma complicação de que ele não precisa - mas agora, com os seus irmãos sob ataque, ele deve protegê-la de uma ameaça crescente, que o inclui a ele próprio. Por causa de um beijo rápido e irresistível, ela tornou-se parte do seu reino subterrâneo... e o toque dele desperta-a para dons escondidos, desejos e fomes que ela nem sonhava possuir.
Ligados pelo sangue, Dante e Tess devem trabalhar juntos para acabar com os inimigos mortais, ao mesmo tempo que descobrem uma paixão que transcende os próprios limites da vida...

Imprenssa:
«Deixem-me apenas dizer quão animada estou a esta nova série! Mal posso esperar para recomendar O Beijo Carmesim aos meus amigos e amantes de livros. Embora a história de Dante seja o segundo livro da extraordinária série de Lara Adrian, não é necessário ler o primeiro, O Beijo da Meia-Noite. Mas recomendo-o vivamente, já que detesto ver leitores perder uma parte de uma série tão deliciosa.»
Romance Junkies

«O Beijo Carmesim é uma leitura intensamente erótica e emocionante que vai prender os leitores. Adrian mantém o enredo novo e fresco, e os personagens cativantes...»
Fallen Angels (5 Angels)

«Uma escrita vibrante que aumenta o suspense, e segredos ocultos que proporcionam várias reviravoltas… O Beijo Carmesim é um vencedor e deixará os leitores ávidos... da próxima história da Raça da Meia-Noite.»
Romance Reviews Today

Lara Adrian vive com o marido no litoral da Nova Inglaterra, rodeada por cemitérios seculares, pelo moderno conforto urbano e pela inspiração infinita do oceano Atlântico

Série Midnight Breed (Raça da Meia-Noite)
1 - O Beijo da Meia-Noite - A Kiss of Midnight
2 - O Beijo Carmesim - Kiss of Crimson
3 - O Despertar da Meia-Noite - Midnight Awakening
4 - Midnight Rising
5 - Veil of Midnight
6 - Ashes of Midnight
7 - Shades of Midnight
8 - Taken by Midnight
9 - Deeper Than Midnight

Opinião:
Quanto terminei a leitura do 1º volume da raça da meia-noite, o Beijo da meia-noite, senti uma enorme vontade de saber mais sobre todas aquelas personagens. O 2º volume não desilude o leitor em nenhum pormenor. Encontramos Dante um guerreiro que sabe cativar o leitor, tão ou melhor que Lucan. Ele é arrogante, individualista, destemido, extraterrestre, vive na solidão, não é nada sentimental e vive para proteger os seus.
Tess é uma veterinária, que vive para o seu trabalho, o seu amor á profissão, faz com que passe horas e horas em claro a dar o seu melhor na clinica. Mesmo a passar muitas dificuldades financeiras, Tess não deixa de ajudar quem necessita, pensando no dia de hoje e esquecendo o dia de amanha. É numa dessas noites, em que está a fazer noitada na sua clinica, que acaba por conhecer Dante. Este ferido, após um combate com renegados, e completamente desprotegido, sem forças, entra na clinica e acaba por se alimentar de Tess, a única mulher de quem não se podia ter alimentado. Isto porque, Tess sem saber é uma companheira de raça e vai ficar ligada a Dante para a eternidade.

“Carmesin” é o nome de uma nova droga, que no ser humano não produz qualquer efeito. Mas, ao ser consumida por um renegado, destrói completamente. Esta droga anda a ser fabricada e distribuída por alguém muito próximo de Tess, o seu ex-namorado. Ele produz e comercializa a droga, sem ter qualquer conhecimento dos seus efeitos e consequências.
Dante vai ter duas grandes missões: 1º encontrar o traficante de droga e o seu chefe e acabar com a comercialização do Carmesin. 2º Convencer Tess, que é uma companheira de Raça e que esta ligada a ele para sempre.
Mais uma linda história de amor, para o leitor desfrutar. Uma saga magnífica, que nos deixa com imensa curiosidade sobre os restantes regueiros da ordem.

Leitura realizada em Agosto/2011
Classificação: 5/7 Muito Bom

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

"A Dança das Borboletas"

A Dança das Borboletas
de Poppy Adams
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 320
Editor: Porto Editora
Idioma: Português

Sinopse
Assomando à janela do primeiro andar da mansão degradada que em tempos fora a sua idílica casa de família, Ginny aguarda ansiosamente a chegada da irmã, que partiu há quarenta e sete anos e nunca mais voltou. Especialista em borboletas, Ginny leva uma vida de reclusão, com medo de se aventurar no mundo exterior.
Com o regresso de Vivien, os segredos que provocaram a separação das duas irmãs irão perturbar o quotidiano de Ginny muito para além das rotinas precisas que lhe definem os dias.
Das suas infâncias, apenas o sótão da casa permanece inalterado, com as suas paredes revestidas com mostruários de borboletas cuidadosamente preservadas ao longo de várias gerações.
Narrado pela voz inesquecível de Ginny, este brilhante romance de estreia descreve-nos o que as famílias são capazes de fazer - especialmente em nome do amor.

Primeiras Páginas


Poppy Adams é licenciada em Ciências Naturais pela Universidade de Durham e colabora como realizadora de documentários com a BBC, o Channel 4 e o Discovery Channel. Este seu romance de estreia, A Dança das Borboletas, foi finalista do Costa Book Awards para primeiro romance e foi alvo de rasgados elogios da crítica literária, tendo a sua escrita sido comparada às de Patricia Highsmith e A.S. Byatt. Vive em Londres com o marido e os três filhos.

Opinião
Um livro que passa despercebido, com uma capa pouco apelativa e de uma autora desconhecida… mas ao ler a sinopse, convenci-me que seria uma leitura diferente e agradável. Adquiri o livro mas só a quarta tentativa é que consegui terminar a sua leitura, dai ser-me difícil escrever sobre ele.

Ginny é a narradora desta história, uma personagem enigmática, extraordinária, especial, peculiar, obcecada com a organização, com os relógios e o tempo, com muitas dificuldades de integração na sociedade, que vive sozinha numa casa enorme, que não comunica com ninguém, não sai de casa, não entra em muitas divisões da sua casa á muitos anos… Fiquei sem perceber se Ginny não teria mesmo alguma deficiência… Ginny narra-nos uma história inquietante, recheada de insegurança, duvidas, segredos… Mas a sua narração é tão próxima e íntima do leitor, que este acredita que possa ter sido real. Uma obra com uma grande componente psicológica.

Além de Ginny, temos a Vivien sua irmã. Que já não entrava na casa de família a 47 anos. O leitor é informado de todos os detalhes deste reencontro de irmãs. Apesar da obra se centrar mais nas revelações do passado, infância, adolescência, vida amorosa, vida familiar, defeitos e virtudes… destas irmãs e dos seus Pais.

No momento em que o leitor vê Ginny como uma mulher infeliz que sempre viveu em detrimento da felicidade dos outro e Vivien, como a lutadora, modernaça, que sempre lutou pelos seus objectivos… chega à reta final da sua leitura e descobre que a mulher insegurança, diferente, esquisita, que era Ginny, tem uma força brutal e não era assim tão ingénua, como parecia.

Ginny estudava a comportamento das traças, era uma lepidóptera, todas as informações, relatos, experiencias sobre as traças e as borboletas é simplesmente magnifica. Poppy Adams está realmente de parabéns, por partilhar com o leitor, este vasto conjunto de informações. Para mim foi o aspecto positivo desta leitura, toda esta paixão pela profissão, narrada de uma forma muito diferente e invulgar.

Leitura realizada em Agosto/2011
Classificação: 3/7 Razoável

LEPIDÓPTEROS (curiosidade)


"As borboletas são, possivelmente, os insetos mais vistosos, mais ornamentais, mais apreciados pela beleza das asas, mais citados pela literatura poética, mais impressos, pintados e desenhados, mais úteis para polinização e, paradoxalmente, mais massacrados pelo homem. Seja para confeccionar adornos de discutível gosto para vender a turistas, ou espetar alfinetes e “colecioná-los” sem qualquer critério; seja pelo nefando hábito de matar as lagartas do bicho conhecidas como, taturanas e mandorovás e bichos-cabeludos, os pobres insetos servem aos instintos mórbidos e ganância comercial humanos numa escala sem precedentes e, pior, sem terem “culpa no cartório”. Sempre que vejo alguém eliminando lagartas das plantas pergunto o porquê e, quase sempre a resposta é porque são nocivas, feias, prejudiciais. Quando pergunto se a pessoa gosta de borboletas a resposta, invariavelmente é sim." (Continuação)

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

"A Árvore dos Segredos"


A Árvore dos Segredos
de Sarah Addison Allen
Quando descobrimos o poder duradouro da amizade e do amor

Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 280
Editor: Quinta Essência

Sinopse
Sarah Addison Allen dá-nos as boas-vindas a uma nova povoação: Walls of Water, na Carolina do Norte, onde os segredos são mais espessos do que o nevoeiro das famosas quedas-d’água da cidade, e as superstições são, de facto, reais. Willa Jackson vem de uma antiga família que ficou arruinada gerações antes. A mansão Blue Ridge Madam, construída pelo bisavô de Willa durante a época área de Walls of Water, e outrora a mais grandiosa casa da cidade, foi durante anos um monumento solitário à infelicidade e ao escândalo.

E a própria Willa há muito se esforçou para construir uma vida para lá da sombra da família Jackson. Não é tarefa fácil numa cidade moldada por anos de tradição e com fronteiras bem demarcadas entre ricos e pobres. Mas Willa soube há pouco que uma antiga colega de escola – a elegante Paxton Osgood - da abastada família Osgood, restaurou a Blue Ridge Madam e a devolveu à sua antiga glória, tencionando transformá-la numa elegante pousada. Talvez, por fim, o passado possa ser deixado para trás enquanto algo novo e maravilhoso se ergue das suas cinzas.

Mas o que se ergue, afinal, é mais um segredo que gira à volta de algo encontrado sob o solitário pessegueiro da propriedade. Setenta e cinco anos antes, o carismático vendedor ambulante Tucker Devlin, exerceu os seus encantos sombrios em Walls of Water, e deixou a sua marca. Quem terá ele sido realmente? E por que motivo estão de repente a acontecer coisas estranhas em toda a cidade? Agora, unidas numa improvável amizade e por um enorme mistério, Willa e Paxton tem de confrontar as paixões perigosas e as trágicas traições que outrora uniram as suas famílias e descobrir a verdade acerca dos antepassados que transcenderam o tempo e desafiaram a sepultura para tocar os corações e as almas dos vivos.

A Árvore dos Segredos é uma história sobre o poder profundo e duradouro da amizade, do amor e da tradição, e um retrato dos laços inquebráveis que – nos bons e nos maus momentos, de uma geração para a seguinte – duram para sempre.

Imprenssa
«Allen habituou-nos a escrever bons romances; o seu último livro continua essa tendência... As interações, o diálogo e o ritmo mantêm o leitor intrigado e a virar as páginas até ao fim. Sendo um estudo sobre as relações das mulheres e os laços da amizade, do amor e da comunidade, esta é uma história que vale a pena levar para a cama e ficar a noite toda a ler.»
Romantic Times

«Allen demonstra mais uma vez neste delicioso livro a sua espantosa capacidade de unir de forma credível as fronteiras entre o mágico e o mundano.»
Booklist

«Apaixonei-me pela escrita de Sarah Addison Allen e pelo mundo que ela descreve.»
Luanne Rice

«Uma leitura verdadeiramente deliciosa.»
Sun News
Sarah Addison Allen é autora dos êxitos de venda O Jardim Encantado, O Quarto Mágico e O Feitiço da Lua. Nasceu e cresceu em Asheville, na Carolina do Norte. Os direito de O Jardim Encantado, a sua obra de estreia, foram cedidos para 15 países e só nos Estados Unidos venderam-se mais de meio milhão de exemplares. O livro foi distinguido com o prémio SIBA Novel of The Year, atribuído pela Associação de Livreiros Independentes do Sul ao melhor romance de 2008. Em Portugal, O Jardim Encantado foi igualmente um êxito, com mais de 10 mil livros vendidos. O Quarto Mágico foi eleito, em 2009, Romance Feminino do Ano, referente a 2008, pela revista Romantic Times.

Para mais informações visiteopinião sobre obras da autora: O jardim Encantado; O quarto mágico; O feitiço da lua

Opinião
Com “O Jardim Encantado” fui seduzida pela escrita de Sarah Addison Allen, seguiu-se “ O Quarto mágico” e “O Feitiço da Lua”, leituras que me envolveram, fascinaram e encantaram, sempre em ambientes mágicos, com cheiros e sabores deliciosos e recheados de personagens ternas, carinhosas e sensíveis.
“A Árvore dos Segredos” não podia fugir à regra. É um conjunto de magia, encantos com uma escrita maravilhosa, bonita, subtil, elegante, viciante e carinhosa, que nos consegue seduzir e cativar logo nas primeiras páginas e ao virar a ultima, sentimos uma grande lufada de ar fresco com cheirinho a pêssego. Só se descansa quando se chega ao fim, tal é a afinidade que a autora consegue criar com o leitor. Uma leitura sôfrega recheada de muito humor e muita reflexão.
Uma obra composta por personagens muito bem construídas, fortes num ambiente repleto de sensações que decorre numa pequena localidade de Walls of Water onde encontramos Willa Jackson (perfeita e pobre) e Paxton Osgood (rebelde e rica). A restauração da famosa casa Blue Ridge Madam e a realização de uma gala nessa mesma casa é o fio condutor para desenterrar, desenvolver e desvendar segredos e mistérios muito antigos. Segredos com cerca de 75 anos que vão alterar a vida de Willa e Paxton e de muitos outros habitantes.

Uma história que foca o amor e a paixão, mas onde o principal sentimento é sem dúvida a amizade, amizades antigas, novas amizades e principalmente a manutenção e o reforço de uma grande amizade para que não caia no esquecimento. Sarah relembra-nos que a vida é composta por pequeninhas coisas sendo a amizade algo muito importante na vida de todos nós. Um livro que contem uma mensagem especial, como todos os outros da autora.
Uma leitura sôfrega recheada de muito humor e muita reflexão, ideal para o verão, tal é a sua frescura e leveza.

Leitura realizada em Julho/2011
Classificação: 5/7 Muito Bom

terça-feira, 2 de agosto de 2011

"Perfume de Paixão "

Perfume de Paixão
de Jude Deveraux
E se descobrisse que o seu noivo não era quem afirmava ser

Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 392
Editor: Quinta Essência

Sobre a obra:
Noiva do encantador e sedutor Greg Anders, Sara Shaw mal consegue esperar pelo dia do seu casamento em Edilean, na Virgínia. A data foi marcada, as flores encomendadas e o seu vestido, já usado por várias gerações de noivas da família, está pronto. Mas apenas três semanas antes do dia do casamento, Greg recebe um telefonema durante a noite e sai sem dar qualquer explicação. Dois dias mais tarde, um homem aparece através de um alçapão no soalho da casa de Sara, afirmando que é o irmão da sua melhor amiga e informando-a que se vai mudar para casa dela.
Embora Mike Newland esteja realmente a dizer a verdade sobre a sua identidade, a razão que o levou ali tem muito mais que se lhe diga. É um detective que trabalha infiltrado; a sua missão é usar Sara para descobrir o paradeiro de uma mulher — uma das criminosas mais notórias dos Estados Unidos — que, por acaso, é a mãe do homem com quem Sara tenciona casar.

Mike acredita que a investigação não será difícil — isto é, caso consiga arranjar maneira de fazer com que uma jovem de «boas famílias» como Sara confie em si. No entanto, Mike não faz a mais pequena ideia do que aquela missão lhe reserva. Esforçou-se ao máximo para esconder as suas ligações a Edilean, as quais remontam ao tempo em que a sua avó vivera naquela localidade, em 1941. Mas à medida que Mike e Sara se vão conhecendo, ele não consegue evitar partilhar segredos que nunca tinha partilhado com ninguém. Ela retribui confidenciando a Mike aspectos da sua vida que jamais teria revelado a Greg. Enquanto trabalham juntos para resolverem os dois mistérios, o amor crescente que desabrocha entre os dois começa a sarar cicatrizes de uma forma que nunca teriam imaginado ser possível.

Com Perfume da Paixão Jude Deveraux continua a série centrada em Edilean, que teve início com Jardim de Alfazema

«Jude Deveraux é uma exímia contador de histórias, e os seus livros estão repletos de emoção e aventura, tornando-a uma das mais populares escritoras de romances da actualidade. Perfume da Paixão não foge à regra. Com personagens fortes, um encanto discreto e uma intrigante história, os fãs vão gostar de ter mais notícias dos habitantes de Edilean»
Times Record News

«Mais um romance que prende os leitores e os deixa com um sorriso nos lábios.»Booklist

«Qualquer romance de Deveraux é sempre agradável
E consegue prender a atenção dos leitores.»
The Advocate

«A escrita de Jude Deveraux é encantadora e requintada.»Book Page


Jude Deveraux nasceu em 1947 em Fairdale, Kentucky. Licenciou-se em Arte na Universidade de Murray. Foi professora durante alguns anos, antes de se dedicar exclusivamente à escrita. Actualmente vive na Carolina do Norte.

Obras editadas em Portugal:
Alguém para Amar
Jardim de Alfazema
Perfume da Paixão

Opinião:
Em Perfume da Paixão, Jude Deveraux apresenta-nos Sara, muito querida e estimada por todos os habitantes de uma pequena cidadezinha, onde as bisbilhotices são uma constante, mas onde todos se entreajudam como uma grande e numerosa família. Sara está comprometida com um homem, antipático, arrogante, que ninguém gosta, mas que todos acabam por aceitar por ser o noivo de Sara, que passaram a encarar como frágil, após ter sido abandonada pelo seu anterior namorado.
Também nos é apresentado o admirável e encantador Mike, que é enviado a pequena cidade de Edilean para investigar o paradeiro de uma mulher, considerada uma pessoa perigosa. A irmã de Mike vive em Edilean e é também uma grande amiga de Sara. A imaginação da autora para aproximar Mike de Sara é de louvar, são momentos de leitura muito divertidos. Sara é a pessoa que Mike tem de proteger acima de tudo e de todos. Uma pessoa com uma fraca autoestima, que ao longo da história, vai-se tornando forte, lutadora, decidida e segura de si. Juntos vão conseguir desvendar muitos segredos à medida que lutam para sobreviver.

Um livro que sabe cativar o leitor, com um enredo encantador, com muita dinâmica e interajuda muito realçada ao longo de cada página. Uma história que sabe manter o interesse no leitor do início ao fim, muito bem estruturada. Claro que não é uma obra-prima, mas muito agradável e ideal para as tardes de verão.
Como já referi a história passa-se numa pequena cidade “Edilean”, a mesma cidade de Jardim de Alfazema. As histórias não têm qualquer ligação entre si, simplesmente se desenrolam na mesma cidade e nesta última obra temos conhecimento da atual vida de Jocelyn da obra Jardim de Alfazema onde Jude Deveraux retratou paixões, intrigas e segredos dando início a uma extraordinária série centrada em Edilean. Que chegue brevemente o terceiro livro desta série encantadora.

Leitura realizada em Julho/2011
Classificação: 5/7 Muito Bom

segunda-feira, 25 de julho de 2011

"Amor e chocolate"

Amor e chocolate
de Dorothy Koomson
Uma história deliciosa de amor, luxúria e chocolate.
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 416
Editor: Porto Editora
Idioma: Português

Sinopse
Amber Salpone não queria sentir-se atraída pelo amigo Greg Walterson, mas não consegue evitar. E, de cada vez que a atracção se concretiza em algo mais, a aventura secreta fica mais perto de se tornar numa relação séria, o que, sendo ele um mulherengo e tendo ela fobia ao compromisso, constitui um grande problema.

Enquanto Amber luta para aceitar o que passou a sentir por Greg, apercebe-se também de que ela e Jen, a sua melhor amiga, estão cada vez mais afastadas. Pouco a pouco, à medida que as duras verdades das vidas de todos vão sendo reveladas, Amber tem de enfrentar o facto de o chocolate não curar tudo e, por vezes, fugir não é opção...

Em Amor e chocolate revisitamos o melhor do drama emocional que partilhámos em A filha da minha melhor amiga, mas no registo mais jovial que conhecemos em O amor está no ar. Este novo romance da escritora aborda de forma simultaneamente divertida e comovente uma dolorosa escolha entre a lealdade a uma amiga e o amor por um homem. O melhor de Dorothy Koomson e, seguramente, mais um caso de sucesso em Portugal.

Dorothy Koomson
Apaixonada desde sempre pela palavra escrita, Dorothy Koomson escreveu o seu primeiro romance aos 13 anos. A filha da minha melhor amiga foi o seu livro de estreia em Portugal. A história comovente de duas amigas separadas pela mentira e unidas por uma criança encantou os leitores portugueses. Pedaços de ternura, Bons sonhos, meu amor, O amor está no ar e Um erro inocente foram igualmente bem-sucedidos, consagrando a autora como uma referência para as leitoras portuguesas.

Opinião
Uma história de amor entre Amber, uma mulher que foge do amor, de relacionamentos e compromissos a sete pés, e Greg o seu melhor amigo nos últimos anos. Greg é um mulherengo assumido e sem descaramento nenhum, é Amber que o livra de muitas confusões e até de maridos ciumentos. Uma noite o inevitável acontece e envolvem-se… Amber não se conforma com o envolvimento de ambos, logo com Greg que ela conhece como a sua própria sombra. Um romance rodeado de dúvidas, incertezas, angústias… conseguiram eles, vencer todos os obstáculos e deixar para traz um passado tão diferente.
Além do romance e do amor, também encontramos nas páginas deste livro, o verdadeiro sentido da amizade. Amber vai colocar á prova a sua amizade com Jen a sua melhor amiga. Depois de anos e anos de cumplicidade entre ambas, alguns encontros e desencontros vão surgir, entre mal entendidos e falta de confiança. Uma amizade posta à prova, será a amizade realmente verdadeira entre ambas, capaz de ultrapassar tantos dissabores.
Quanto ao Titulo do livro Amor e chocolate, à medida que as páginas vão sendo desfolhadas o leitor compreende perfeitamente a importância do chocolate na vida de Amber. Como ela define uma pessoa, através do tipo de chocolate que essa pessoa consome. Uma parte que gostei particularmente de ler.
Confesso que não é dos meus livros favoritos desta autora, mas é sem duvida uma deliciosa leitura, envolvente e cativante.

Leitura realizada em Junho de 2011
Classificação: 4/7 Bom

sábado, 9 de julho de 2011

"Uma Rapariga dos Anos 20"

Uma Rapariga dos Anos 20
de Sophie Kinsella
Mais um fabuloso e divertido romance de Sophie Kinsella, a autora de "Louca por Compras".

Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 472
Editor: Livros d'Hoje
Coleção: Ficção Traduzida

Sinopse

Lara sempre teve uma imaginação muito fértil, mas agora, questiona-se se não estará a ficar louca. As raparigas normais de vinte anos simplesmente não vêem fantasmas! Inexplicavelmente, o espírito da sua tia-avó Sadie - sob a forma de uma rapariga ousada, exigente e dançarina de Charleston - apareceu-lhe para fazer um último pedido: Lara deve encontrar um colar que se encontra desaparecido para que Sadie possa descansar em paz.
Lara já tem problemas que cheguem na sua vida. A sua nova empresa está em declínio, o seu melhor amigo e parceiro de negócios fugiu para Goa e acaba de ser abandonada pelo amor da sua vida.
Mas à medida que Lara passa tempo com Sadie, a vida torna-se mais fascinante e a caça ao tesouro transforma-se em algo intrigante e romântico. Poderia o fantasma de Sadie ser a resposta para os problemas de Lara? Poderiam duas raparigas de épocas diferentes aprender algo especial uma com a outra?
Obras:* Louca por compras
* Louca por compras e a irmã
* A fala do Lar

Opinião:
Mais um livro, para nos fazer rir, até nas alturas que menos nos apetece faze-lo. Não se pode dizer que é um livro magnífico em termos de literatura, mas muito divertido, engraçado…
A história é super divertida… aliás na minha opinião, o livro é composto por três histórias distintas, mas que se encaixam na perfeição umas nas outras.
Temos uma protagonista, que esta morta, mas não vai descansar enquanto não encontrar o seu colar, então procura a sua sobrinha e juntas vão viver momentos divertidos ao mesmo tempo que desvendam um segredo de família, guardado a sete chaves.
Esta sobrinha, além de passar a viver os seus dias em função da sua tia-avó (morta), esta a passar por sérios problemas profissionais, a sua amiga e sócia, abandona-a e parte para umas férias magníficas. Será que vai dar a volta por cima, resolver todos os problemas profissionais, para os quais não tem qualquer experiencia… e quanto a sociedade entre ambas, terá algum futuro?
Claro que nos falta nesta história, uma pitadinha de romantismo e posso garantir que ao desfolharem as páginas deste livro, vão encontrar uma linda historia de ódio/amor.
Um livro XXL, mas que se lê, num abrir e fechar de olhos, muito divertido, ideal para as tardes de férias…

Leitura terminada em Junho/2011
Classificalão: 5/7 Muito Bom

domingo, 3 de julho de 2011

"Milagre em Nova Iorque"

Milagre em Nova Iorque
de Luanne Rice
O encontro de dois corações solitários e o renascer da esperança…Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 232
Editor: Quinta Essência
Coleção: Romance

Sinopse
Christy Byrne é um viúvo que ganha a vida a cultivar pinheiros de Natal no Canadá e a vendê-los em Manhattan. Um dia, o impensável acontece. Christy discute com o filho, Danny, de dezasseis anos. A polícia é chamada e, enquanto Christy é algemado, Danny foge. A viúva Catherine Tierney vê a luta, toma Danny sob a sua protecção, e dá-lhe acesso à biblioteca privada onde trabalha.
Passa um ano e Christy regressa a Nova Iorque com a filha de doze anos para vender as suas árvores. Ele e Catherine sentem-se atraídos um pelo outro, mas ela enfrenta um dilema: irá dizer a Christy que sabe onde Danny está e quebrar a confiança do rapaz, ou trair Christy, mantendo o paradeiro do seu filho um segredo? Unidos na sua preocupação partilhada por Danny, Christy e Catherine vão ajudar-se a esquecer os seus passados conturbados e a avançar juntos em direcção ao futuro.

Obras da autora:
A Minha Verdade é o Amor
Espero por ti este Inverno
O Último Beijo
Tua para Sempre
O Verão das Nossas Vidas
Milagre em Nova Iorque

Luanne Rice é autora de mais de duas dezenas de livros, marcando regularmente presença na lista dos mais vendidos do New York Times, Washington Post e USA Today. A sua escrita, descrita pelo New York Times Book Review como uma «rara combinação de realismo e romance», tem fascinado milhões de leitores em todo o mundo. A autora está publicada em 25 países, com mais de 25 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Em Portugal, depois de A minha verdade é o amor, surge agora Espero por ti este Inverno.
Rice desde cedo revelou talento para a escrita, tendo publicado o primeiro poema aos 11 anos e a primeira história aos 15. Depois de uma passagem pela Universidade do Connecticut, teve vários trabalhos até se dedicar em exclusivo à escrita.
Luanne Rice vive entre Nova Iorque e Old Lyme, no Connecticut, na casa onde costumava passar os Verões quando era criança.

Opinião
Mais um livro encantador de Luanne Rice. Uma história com cheiro a Natal, a frio, neve… Algo estranho em pleno verão, mas a autora consegue transpor-nos para estes locais, através de uma escrita deliciosa, recheada de muitas emoções, sentimentos de perda e conquista...
Os protagonistas desta história são reais na maneira como apresentam os seus sentimentos, dramas… Conseguindo que o leitor se identifique em muitas situações com a história.
As descrições de Nova Iorque, são deliciosas e ensinam o leitor a olhar para cima, a encontrar beleza, encanto, magia… onde menos se espera.
Quanto a história, temos um Pai que vive para o seu trabalho e para criar e educar os filhos, segundo os seus princípios. Uma viúva, inconsolável, com a vida e o seu dia-a-dia, desde que perdeu o seu amado marido.
Um livro lindo, sobre o poder do amor, amizade, compreensão.

Leitura realizada em Junho/2011
Classificação: 5/7 Muito Bom

terça-feira, 17 de maio de 2011

"Para Ti, uma vida nova"




Para Ti, Uma Vida Nova
de Tiago Rebelo
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 132
Editor: Caderno
Coleção: Autores Portugueses

Sinopse
Sempre que ia fazer surf para o Guincho, Cristina esquecia-se do mundo. Para ela havia, nesses momentos, apenas o seu corpo na prancha e a imensidão azul - mar e céu. No embalo das ondas não pensava na sua agenda totalmente preenchida, nas inúmeras solicitações que tinha enquanto mulher de um bem-sucedido empresário da Comunicação Social e directora da mais recente aquisição do marido, o diário O Popular.
Esquecimento e desafio, era isso que procurava em cada ida ao Guincho. Mas a beleza pura e agreste daquela praia viria a evocar-lhe, um dia, bem mais do que isso, e ao contemplá-la seria invadida por uma outra beleza que se misturava com aquela, mas que tinha tonalidades incrivelmente profundas e ricas. Conheceria Miguel ali e seria também ali que iria sentir a força e o espírito de um amor intenso, corajoso e rebelde, um amor que viria a mudar para sempre a trajectória da sua vida. Mas, por enquanto, Cristina concentrava-se apenas nos tubos azuis e brancos das ondas e não sonhava ainda que viria a apaixonar-se por um dos jornalistas mais creditados d’O Popular.




Autor:
Do percurso literário de Tiago Rebelo destacam-se três livros de contos infantis:
"O Palácio Encantado"
"A Boneca de Porcelana"
"O Pato Mercedes"

Opinião
Esta é uma história entre duas pessoas adultas, um divorciado com um filho adorável e uma casada com uma carreira profissional de topo, que procuram simplesmente ser felizes. Com um enredo bem estruturado e surpreendente, preparem os lenços de papel porque tenho a certeza que os vão utilizar. Uma história de amor que se lê num abrir e fechar de olhos, ideal para uma tarde de praia.

Leitura realizada em Maio/2011
Classificação 4/7 Bom

segunda-feira, 16 de maio de 2011

"Uma Noite em Nova Iorque"

Uma Noite em Nova Iorque
de Tiago Rebelo
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 184
Editor: Edições Asa
Coleção: Autores Portugueses

Sinopse:
«Filipe é um conceituado escritor de visita a Nova Iorque, onde conclui o seu novo romance no dia em que completa 50 anos. Patrícia, a sua mulher, médica, vive a angústia de um casamento em crise. Há muitos anos, Isabel jurou que se encontraria com Filipe em Nova Iorque, neste mesmo dia, no terraço do Empire State Building, caso a vida os separasse. Jonas, cantor famoso, está na cidade para um concerto. Catarina, jornalista, vive com Ricardo, mas já não o ama e, em contrapartida, deixa a sua vida em suspenso para ir atrás de Jonas. Luísa, uma jovem estudante de uma beleza invulgar, é a mulher que Jonas quis, embora não a amasse. E Catarina é a mulher que ele ama, apesar de ser demasiado egoísta para se comprometer. De alguma maneira, todas estas vidas se cruzam em determinado momento e, de alguma forma, influenciam-se umas às outras. Nova Iorque, a cidade de todos os encantos, é o local onde o passado e o futuro destas pessoas se encontram, para onde, estejam ou não presentes, os seus destinos convergem e as suas vidas se decidem.

Uma Noite em Nova Iorque é uma complexa história de encontros e desencontros, promessas e desilusões; mas também uma história de descoberta e de esperança, que reflecte o dilema dos protagonistas divididos entre duas forças poderosas: a obrigação de perpetuar uma união que já não lhes traz alegria e a urgência de correr atrás de uma enorme paixão que mais não é do que uma carta fechada.

Autor:
Tiago Rebelo é um dos romancistas mais brilhantes das letras portuguesas. Na última década manteve uma produção literária constante e os seus livros tornaram-se há muito presença habitual nos lugares cimeiros das principais tabelas de vendas nacionais. Com títulos disponíveis em diversos países, desde o Brasil a Angola e Moçambique, foi igualmente editado em Itália e na Argentina. Depois dos enormes sucessos aplaudidos pelo público e pela crítica, O Tempo dos Amores Perfeitos e O Último Ano em Luanda, o seu útlimo romance, O Homem Que Sonhava Ser Hitler, editado em 2010 pela ASA, é um magistral e absorvente relato de uma face desconhecida da sociedade actual. A par da actividade literária, Tiago Rebelo tem já uma longa carreira de jornalista, sendo actualmente editor executivo na TVI.

Tiago Rebelo regressa com um novo romance de enorme envolvência psicológica. Em Uma Noite em Nova Iorque, o autor descreve com um realismo surpreendente e sem cedências a falsas emoções a complexidade de vidas que se cruzam.
Saiba mais em http://www.tiagorebelo.com/

Opinião:
É incrível mas nunca tinha lido nada de Tiago Rebelo, adquiri o seu novo romance por impulso. Achei a sua escrita cativante e emocionante, com muitas parecenças à escrita de Nicholas Sparks.
“Uma noite em Nova Iorque” é um romance composto por várias histórias, vários relatos e memórias. Histórias que se ligam entre si, ou pelas recordações, acontecimentos, experiencias vividas. Uma mistura de personagens, cada uma com a sua história de amor.
Em determinado momento na leitura senti-me perdida e confusa, com tantas personagens, relatos de historias de amor… não entendia qual a ligação entre eles. No final, fiquei desiludida, pois queria mais das personagens, senti que muita coisa ficou por esclarecer no meio de tantos encontros e desencontros.
Vou ter de dar outra oportunidade ao autor, porque este seu novo romance sob o pouquinho. Mas adorei a escrita do autor.

Leitura realizada em Maio/2011
Classificação: 3/7 Razoável

sábado, 30 de abril de 2011

"Os Náufragos do Amor"


Os Náufragos do Amor
de Rui Araújo
Quando um coração oscila entre duas famílias, até onde pode levar o desejo de recuperar um amor?

Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 192
Editor: Oficina do Livro

Sinopse:
Bill, um irlandês que vive nos arredores de Lisboa, é a única testemunha do assassínio da sua companheira Carolina. Quando Miguel Neves, o inspector da Polícia Judiciária, chega ao local do crime, encontra o corpo da mulher no sofá e o homem a ser levado numa ambulância. Não descobre sinais de roubo ou arrombamento. Os dados da investigação estão lançados.

No hospital, Bill é interrogado pela polícia e declara que dois homens o agrediram e mataram a mulher. Os investigadores tentam encontrar os alegados agressores. Descobrem que a relação de Bill com Carolina já conhecera dias melhores e que o irlandês viajava com demasiada frequência para a sua terra natal. Quando o detective Neves e o seu colega Nicolau viajam até Cork, descobrem que a vida de Bill é mais misteriosa do que parece.

Os Náufragos do Amor é uma obra que introduz o leitor no quotidiano peculiar da investigação policial ao mesmo tempo que o leva a questionar-se sobre os limites do amor, confirmando a mestria narrativa de Rui Araújo.

Autor:
Rui Araújo nasceu em Lisboa. Foi correspondente da RTP e da ANOP em Paris antes de integrar a equipa do programa Grande Reportagem - foi o primeiro jornalista português a entrar em Timor depois da invasão indonésia.
Em 1967, participou na investigação do "Irangate" para a CBS News. Colaborou também na UPI, RFI, TSF, no Expresso, n'O Jornal e na revista Grande Reportagem - de que é co-fundador. Membro do International Consortium of Investigate Journalists, é colaborador do jornal Público e Le Point. Tem nove prémios de jornalismo.
É autor de um livro sobre Timor e dos romances policiais À Queima-Roupa e Lisbon Killer. Sonha com uma volta ao mundo de veleiro pelos cabos míticos.

Opinião:
Um livro adquirido por instinto, sem conhecer o autor nem ler a sinopse. Uma obra que se lê num abrir e fechar de olhos, por ser uma história pequena e com alguma simplicidade.
Quanto a história… temos um policial, um assassinato e toda uma investigação para descobrir o verdadeiro criminoso. Não posso dizer que seja um grande policial, pois logo nas primeiras páginas é notório o envolvimento do responsável pelo crime. Adorei os investigadores, as frases utilizadas por eles, ou seja, o vocabulário característico da polícia e dos investigadores.

Classificação: 3/7 Razoável

sexta-feira, 29 de abril de 2011

"Feitiços de Amor"

Feitiços de Amor
de Barbara Bretton
Até mesmo o coração mais duro pode ser conquistado por amor e um toque de magia
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 296
Editor: Quinta Essência

Sinopse
Parece uma vila bucólica igual a tantas outras, mas esconde um segredo antigo de todos os visitantes… Sugar Maple é uma terra encantada habitada por feiticeiras, fadas, vampiros e outras criaturas mágicas. Chloe Hobbs é a única que não tem poderes especiais naquele lugar onde nada é o que parece. Chloe é a proprietária da Sticks & Strings, uma popular loja de artigos de tricô. Mas é também a última descendente de uma longa dinastia de feiticeiras com o futuro de Sugar Maple nas mãos.

Chloe sabe que tem de se apaixonar para receber os poderes mágicos e continuar a proteger a sua terra natal. Mas, aos 30 anos, ainda sonha com o verdadeiro amor e as amigas decidem lançar feitiços para a ajudar a encontrar o homem dos seus sonhos. O que ninguém esperava era que Chloe se apaixonasse perdidamente por Luke MacKenzie, o polícia destacado para investigar o primeiro crime ocorrido em Sugar Maple e cem por cento humano.

Se o amor abre finalmente a porta aos seus poderes mágicos, esses mesmos poderes impedem Chloe de sonhar com um futuro ao lado de Luke… Feitiços de Amor é um romance encantador e inesquecível sobre o poder do amor e a magia dos sonhos.

Críticas de imprensa
«Um toque de magia e de suspense fazem de Feitiços de Amor um livro a não perder.»
 BookPage

«Um conto de fadas para adultos.»
Affaire de Coeur

«Uma história absolutamente inesquecível.»
Rendezvous

«Um romance encantador e inesquecível que combina amor, magia, tricô e autodescoberta.» Romantic Times

«Encantador é a palavra certa para definir este romance.» Night Owl Romance

«Barbara Bretton é perita em tocar o coração dos leitores.» Romance Reviews Today «Uma história criativa e encantadora.» Booklist
Barbara Bretton nasceu em 1950, em Nova Iorque. É autora de cerca de quarenta romances, marcando regularmente presença na lista dos mais vendidos do USA Today. Os seus livros estão publicados em mais de vinte países, ultrapassando os dez milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Ao longo da sua carreira foi distinguida com vários prémios, designadamente o Reviewer's Choice Award e o Career Achievement Award, atribuídos pela revista Romantic Times. Bretton vive em Nova Jérsia, mas gosta de passar o máximo de tempo possível no Maine com o seu marido, a passear nas praias rochosas e a sonhar com enredos para os seus futuros livros.

Opinião:
Um livro sobre um conto de fadas moderno, onde a escrita de Barbara Bretton é simples, cativante, acessível que consegue prender-nos da primeira à última página. Um bom livro para ler depois de uma leitura mais pesada, por ser uma história irreal, com fadas, vampiros, lobisomens, mas com personagens muito bem-dispostas e divertidas. Um romance mágico e delicioso.

Classificação: 4/7 Bom

domingo, 17 de abril de 2011

"As Gémeas no Colégio de Santa Clara"


As Gémeas no Colégio de Santa Clara
de Enid Blyton
Edição/reimpressão: 2010
páginas: 232
Editor: Oficina do Livro
Coleção: As Gémeas

Sinopse «Por alguns instantes, as duas raparigas foram invadidas por saudades da antiga escola e das velhas amigas. Não conheciam ninguém em Santa Clara; por isso, não podiam saudar as colegas, como sempre tinham feito no primeiro dia de aulas. Também não gostavam do ar de nenhuma das alunas: pareciam muito mais espalhafatosas do que as de Redroofs. Era tudo verdadeiramente horrível!»

«Em Santa Clara, o nível de exigência era maior do que na maioria das escolas, e, apesar de as gémeas terem uma boa cabeça, não tardaram a perceber que estavam atrasadas em relação às colegas de turma - coisa que também as irritava bastante. Entraram no colégio convencidas de que iriam impressionar toda a gente - afinal, tinham imensas capacidades -, mas parecia que ali dentro não passavam de zés-ninguém».

Enid Blyton foi uma escritora que, ao longo dos quarenta anos da sua carreira, publicou cerca de 800 livros infantis/juvenis. Estabeleceu-se na história da literatura como uma das mais conhecidas e bem sucedidas escritoras de histórias para crianças/adolescentes, tendo, em 1980, a venda dos seus livros atingido os 60 milhões de cópias. Entre as suas criações encontram-se as aventuras de “Os Famosos Cinco”, as aventuras de “Os Sete” e o conhecido “Noddy”.

Comentário:
O livro fala de duas gémeas iguaizinhas uma à outra, mas só fisicamente: Patrícia e Isabel O' Sullivan. Elas são duas raparigas que terminaram o 2º ciclo, contudo, vão separar-se das suas melhores amigas porque os pais (Sr. e Sra. O' Sullivan) decidem mandá-las para um colégio que odeiam: Santa Clara. Assim, ficam tão zangadas que resolvem mostrar a todos os do seu novo colégio, quem são e do que são capazes, mas nem sabem o que as espera… Esta história não é muito actual pelo facto de poucos alunos pertencerem a colégios internos, todavia é uma história cheia de aventura, diversão e um pouco de mistério ao mesmo tempo. Aconselho toda a gente a ler, sei que vão entrar nas brincadeiras das personagens e talvez até sonhar um pouco em conseguir participar nas mesmas, visto que ”partidas” é o que todos os adolescentes gostam de engendrar.

Classifucação: 3/7 Razoável

"Onde Está o Branco em Ti? "


Onde Está o Branco em Ti?
de Ricardo Antunes
Um romance inspirador sobre o amor, a amizade e as escolhas que fazemos em cada momento da nossa vida.
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 176
Editor: Quinta Essência

O amor está vivo. Temos de o procurar enquanto vivemos. Uma estranha e súbita morte leva um grupo de amigos a procurar respostas que os façam encontrar um sentido para aquele inesperado acontecimento. Numa viagem em que se irão confrontar com o mundo, com os outros e finalmente consigo próprios, vão viver momentos de intensa alegria, cheios de risos e afectos, mas também momentos marcados pelas aparências, pelas lágrimas e pelas desilusões.

Gradualmente, aproximam-se do limite a que conduzem as suas opções. Nessa altura, dá-se o confronto entre o desejo de deixar tudo para trás e retomar os dias de sempre e a vontade de penetrar definitivamente no caminho que os levará às respostas que, afinal, sempre procuraram. Todas as histórias são a nossa e a nossa são todas as histórias.

Às vezes, um momento - um só momento - altera toda a nossa vida, irreversivelmente, e para sempre. E se depois nos fosse dada a oportunidade de recomeçar tudo? Se tivéssemos a sorte de perceber que a estrada que nos conduz à felicidade começa com um primeiro passo e que este só pode ser dado por nós mesmos?

Que tudo aquilo que não fazemos por medo é o fruto de pensarmos que temos alguma coisa a perder? Que cada dia é um momento especial para ser celebrado e, cada gesto, um movimento irrepetível? Que o Amor é a única coisa real nesta vida e que tudo o resto é uma ilusão? Que o Amor está Vivo? Que temos de procurá-lo enquanto ainda vivemos? Enquanto ainda o podemos procurar. Se, finalmente e, por uma última vez, tivéssemos a hipótese de nos encontrar, frente a frente, com a vida que sempre desejámos ter?

Onde Está o Branco em Ti? é uma história simples sobre a vida. A vida verdadeira, real e inevitável de todos os dias.

Ricardo Antunes nasceu em 1978 e desde então vive em Sintra. Licenciou-se em História Moderna e Contemporânea pelo ISCTE. Gosta de ler, escrever, rir, passear, cozinhar, pensar, acampar e estar com os amigos. Já plantou uma árvore e já escreveu um livro. O resto chegará a seu tempo. Acredita que a vida é uma oportunidade única para fazer qualquer coisa de útil e não pretende desperdiçá-la. Considera-se uma pessoa feliz e olha a sua vida como uma sucessão de escolhas e acontecimentos maravilhosos que o conduziram até aquilo que é hoje. Como o personagem principal do seu livro diz: (...) a vida é uma questão de escolhas.

Estamos aqui porque escolhemos, porque decidimos estar aqui. Ninguém nos diga que é impossível ou que devia ter sido feito de outra forma. Fizemos as opções que entendemos tendo em conta aquilo em que acreditávamos. E é assim que vivemos todos. Em busca de algo que não sabemos explicar e a que podemos chamar felicidade, amor, perfeição ou outra coisa qualquer. (...) Deseja que todos possam encontrar o que procuram e ser verdadeiramente felizes.

Opinião
Quando iniciei a leitura deste livro, nada me fazia prever que o ia devorar avidamente e com tanto entusiasmo. Amei, adorei desde a primeira linha até à última letra. Com descrições fabulosas e intensas, em vários momentos cruciais da história, somos transportados através de sentimentos de amor e de dor…
Classificação: 5/7 Muito Bom

sexta-feira, 1 de abril de 2011

2º Aniversário do "Chuva de Livros"

Obrigado a todos os seguidores, visitantes e comentadores... que diáriamente visitam este espaço.

Sem eles o 2º Aniversário do "Chuva de Livros" não teria qualquer significado.

Boas Leituras!!

domingo, 27 de março de 2011

"Vento Suão"

Vento Suão
de Rosa Lobato de Faria
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 176
Editor: Porto Editora
Colecção: MARCA D'ÁGUA

A Porto Editora publica Vento Suão, o romance inédito de Rosa Lobato de Faria, um ano após a sua morte.
Este romance conta com um posfácio de Eugénio Lisboa que tem como título “Um prazer interrompido” e que dá a conhecer um pouco da autora e da sua obra.

A apresentação oficial do livro, que será também uma homenagem a Rosa Lobato de Faria, está marcada para o dia 7 de Abril, pelas 18h30, no Grémio Literário de Lisboa.

Sinopse:
Quando faleceu, a 2 de Fevereiro de 2010, Rosa Lobato de Faria deixou inacabado este Vento Suão. Pôs-se então a hipótese de pedir a um(a) autor(a) das suas relações que imaginasse um desenvolvimento para a história que a morte não deixara chegar ao fim e terminasse o livro inacabado. Depressa se concluiu, no entanto, que tal não era a melhor solução – primeiro, porque não se tinha a certeza de que a autora aprovasse essa inclusão de uma voz alheia no interior do seu próprio fluir narrativo; depois, porque, apesar de inacabado, o romance tinha o desenvolvimento suficiente para se deixar ler como um todo com sentido.

Aqui fica, pois, este Vento Suão tal e qual como Rosa Lobato de Faria o deixou. E como derradeira homenagem a uma escritora cuja obra teve como eixos fundamentais “a força da vida, o conhecimento profundo da realidade e do meio em que se agitam os seus fantoches ficcionais, o domínio das minúcias, o fôlego narrativo, a irrupção imparável de um vento negro de violência que impõe uma aura de tragédia intemporal ao que parece quase inócuo”. [Eugénio Lisboa]

Sobre a autora:
Rosa Lobato de Faria nasceu em Lisboa em 20 de Abril de 1932 e na mesma cidade faleceu em 2 de Fevereiro de 2010. Poeta e romancista, o essencial da sua poesia está reunido no volume Poemas Escolhidos e Dispersos, de 1997. O seu primeiro romance, O Pranto de Lúcifer, veio a público em 1995. Publicou em vida doze romances, o último dos quais, As Esquinas do Tempo, já na Porto Editora. Foi também autora de vários livros infantis. Está publicada no Brasil e traduzida em Espanha, França e Alemanha. Em 2000, obteve o Prémio Máxima de Literatura.

Opinião:
Admito que tinha imensa curiosidade sobre o último romance de Rosa Lobato de Faria, assim que adquiri o livro percebi que a obra foi editada tal e qual a autora a deixou. Parti do princípio, como é obvio que no final iria ficar com uma sensação enorme de vazio, por querer mais e verificou-se, é bem notório que a autora deixou algo em aberto... Amei a leitura, conhecer a vida de Isabel e Sofia a adolescência, os sonhos, lutas, encontros, desencontros... A história termina, tendo em conta que a autora nos deixou naquele momento do seu romance, de uma maneira encantadora. É simplesmente lindo, faz-nos pensar muito na vida, nas nossas escolhas, comportamentos, acções. Queria mais, muito mais. Até sempre Rosa Lobato de Faria!

Leitura terminada a 26/03/2011
Classificação: 5/7 Muito Bom