terça-feira, 19 de outubro de 2010

"Marina"

Marina
de Carlos Ruiz Zafón
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 264
Editor: Editorial Planeta

Sinopse
Na Barcelona de 1980, Óscar Drai sonha acordado, deslumbrado pelos palacetes modernistas próximos do internato onde estuda. Numa das escapadelas nocturnas conhece Marina, uma rapariga audaz e misteriosa que irá viver com Óscar a aventura de penetrar num enigma doloroso do passado da cidade e de um segredo de família obscuro. Uma misteriosa personagem do pós-guerra propôs a si mesmo o maior desafio imaginável, mas a sua ambição arrastou-o por veredas sinistras cujas consequências alguém deve pagar ainda hoje.

Marina, o livro que antecedeu o bestseller mundial A Sombra do Vento, é um dos romances favoritos do escritor Carlos Ruiz Zafón. Por muitos considerado uma das maiores revelações literárias dos últimos anos, Zafón confessa, ainda assim, que este é “possivelmente o mais indefinível e difícil de catalogar de quantos romances escrevi, e talvez o mais pessoal”.
Marina, tal como a obra que consagrou Zafón, é um romance mágico de memórias, escrito numa prosa ora poética ora irónica, assente numa mistura de géneros literários (entre o romance de aventuras e os contos góticos) e onde o passado e o presente se fundem de forma inigualável.
Classificado pela crítica como «macabro, fantástico e simultaneamente arrebatador», Marina propõe ao leitor uma reflexão continuada sobre os mistérios da condição humana através do relato alternado de três histórias de amor e morte.
Ambientada na cidade de Barcelona, a história decorre entre Setembro de 1979 e Maio de 1980 e depois em 1995 quando Óscar, o protagonista, recorda a força arrebatadora do primeiro amor e as aventuras com Marina, recupera as anotações do seu diário pessoal e revisita os locais da sua juventude.

1ª Páginas do Livro

Excertos
«Em Maio de 1980 desapareci do mundo durante uma semana. No espaço de sete dias e sete noites, ninguém soube do meu paradeiro.»

«Quinze anos mais tarde, a memória daquele dia voltou até mim. Vi aquele rapaz a vaguear por entre as brumas da estação de Francia e o nome de Marina tornou-se de novo incandescente como uma ferida fresca.»

«Todos temos um segredo fechado à chave nas águas-furtadas da alma. Este é o meu.»

«Marina disse-me uma vez que apenas recordamos o que nunca aconteceu. Passaria uma eternidade antes que compreendesse aquelas palavras. Mas mais vale começar pelo princípio, que neste caso é o fim.»

«- Pintar é escrever com luz – afirmava Salvat. – Primeiro deves aprender o seu alfabeto; depois a sua gramática. Só então poderás ter o estilo e a magia.»

«Um mês depois da sua morte, Germán entrou de novo no seu estúdio, que ficava no sótão da vivenda familiar. A pequena Marina brincava a seus pés. Germán pegou no pincel e tentou fazer um traço sobre a tela. Os olhos encheram-se-lhe de lágrimas e o pincel caiu-lhe das mãos. Germán Blau nunca mais voltou a ...pintar. A luz no seu interior calara-se para sempre.»

Sobre Carlos Ruiz Zafón
Carlos Ruiz Zafón nasceu em Barcelona, em 1964. Em 1993, ganhou o Prémio Ebedé de literatura com o seu primeiro romance, El Príncipe de la Niebla, que vendeu mais de 150.000 exemplares em Espanha e foi traduzido para vários idiomas. Desde então, publicou cinco romances e transformou-se numa das maiores revelações literárias dos últimos tempos com a obra A Sombra do Vento, finalista dos prémios literários espanhóis Fernando Lara 2001 e Llibreter 2002 e livro vencedor do Prémio Correntes d’ Escritas/Casino da Póvoa 2006. Carlos Ruiz Zafón vive actualmente em Los Angeles, onde escreve guiões para cinema e prepara os seus novos livros. Colabora regularmente com os jornais espanhóis La Vanguardia e El País.

Opinião:
Um livro mágico, uma história vivida nas ruas de Barcelona, que nos prende e enfeitiça no decorrer de todas as paginas.
“Marina” é um livro recheado de personagens ricas, cheias de memórias, mistérios, segredos e sonhos. Uma história assustadora, misteriosa, com alguns feitiços, magias, mas também muito fascinante. Que não deixa de abordar o amor, o primeiro amor e os seus sentimentos, emoções, duvidas…
Oscar Drai, vive e estuda no internato, tenta passar todo o seu tempo livre, a explorar as ruas e ruelas de Barcelona. Numa destas explorações, entra numa casa aparentemente abandonada e acaba por apanhar um valente susto, abandona a casa a correr e com um relógio na mão, que não lhe pertence. Resolve voltar à misteriosa casa, com a finalidade de devolver o relógio, uma vez que este não lhe pertence e nessa mesma casa, conhece Marina.
Oscar e Marina tornam-se amigos, confidentes e ambos começam a viver grandes aventuras pelos recantos de Barcelona. Juntos vão desvendar mistérios e segredos sobre Mikhail e a sua esposa e vão conhecer a grande luta que Mikhail teve e se calhar ainda tem, contra as imperfeições do ser humano e sobre a “lei da vida” nascer – viver - morrer.

video



Leitura terminada a 17/10/2010
classificação: 5/7 Muito Bom

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

"Um erro inocente"

Um erro inocente
de Dorothy Koomson
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 448
Editor: Porto Editora
Idioma: Português

1ª Páginas do livro

«O primeiro amor pode matar…
Durante a adolescência, Poppy Carlisle e Serena Gorringe foram as únicas testemunhas de um trágico acontecimento. Entre aceso debate público, as duas glamorosas adolescentes viram-se a braços com os tribunais e foram apelidadas pela imprensa de “As Meninas do Gelado”.
Anos mais tarde, tendo seguido percursos de vida muito diferentes, Poppy está decidida a trazer ao de cima a verdade sobre o que realmente sucedeu, enquanto Serena, esposa e mãe de dois filhos, não pretende que ninguém do presente desvende o seu passado. Mas é impossível enterrar alguns segredos – e se o seu for revelado, a vida de ambas voltará a transformar-se num inferno…
Emocionante e enternecedora, esta história fará com que nos perguntemos se alguma vez poderemos conhecer verdadeiramente aqueles que amamos.»

Da autora do best-seller A Filha da Minha Melhor Amiga

Sobre a autora:
Dorothy Koomson escreveu o primeiro romance aos 13 anos. Chamava-se There's A Thin Line Between Love And Hate e foi escrito ao ritmo de um capítulo por noite, que depois circulava entre as colegas de escola, todas as manhãs. «E elas adoravam!», confessa.
Cresceu em Londres e, mais tarde, durante a faculdade, em Leeds. Acabou por regressar a Londres, para fazer um mestrado, e ficou por lá durante alguns anos. Passou por vários empregos temporários, até conseguir a grande oportunidade no mundo da escrita, colaborando com várias publicações femininas e jornais nacionais.
Contar histórias e escrever ficção constituem uma enorme paixão na vida de Dorothy Koomson, pelo que foi aproveitando cada segundo que tem para trabalhar em contos e romances. Em 2001 teve a ideia que inspirou O Amor está no Ar, e, com ele, começou uma carreira de romancista, que, segundo a própria, «tem sido espectacular!». Em 2006, publicou o terceiro romance, A Filha da Minha Melhor Amiga – que registou um enorme sucesso, vendendo quase 90 mil exemplares no Reino Unido, só nas primeiras semanas. Cerca de um mês depois, o livro foi seleccionado para o Richard & Judy Summer Reads Book Club e as vendas aumentaram para mais de meio milhão de livros.
Dorothy viveu dois anos em Sidney, na Austrália, e agora está de volta a Inglaterra, embora não saiba dizer por quanto tempo – diz-se «mordida pelo bichinho das viagens…».


Outros livros da Autora:








Jantar com Dorothy Koomson em Portugal
video

Opinião:
O ultimo livro da autora "O Amor, esta no ar" não me tinha preenchido as medidas, talvez porque, já estava habituada a lindas histórias que me preencheram totalmente.
Mas este novo livro "Um erro inocente" foi uma leitura magnifica, uma historia muito interessante, que nos faz pensar bastante na vida dos adolescentes, nas suas aventuras, fraquezas... que muitas vezes nem nos apercebemos.


Serena e Poppy duas adolescentes, tímidas, sem muitos amigos... caiam na armadilha de Marcus, um professor de história, divorciado e com um filho. Este em alturas separadas e sem uma ter conhecimento da outra, acaba por as conquistar e ganhar a sua confiança. Torna-se amante de ambas e mantém ambas as relações, mesmo após Serena e Poppy terem conhecimento da existência uma da outra na vida de Marcus. Com medo dele, acabam por fazer as coisas mais horríveis que ele lhes manda, ordena e exige. Até que um dia, cansadas de serem humilhadas, chantageadas, espancadas... ganham coragem e resolvem terminar com a relação, encontram-se ambas, por coincidência, no apartamento de Marcus e ambas com o mesmo objectivo. Mas os confrontos são inevitáveis e o pior acaba por acontecer.


Poppy é condenada a vinte anos de prisão por um crime que sabe que não cometeu. Quando sai da prisão, resolve procurar Serena, investiga o dia-a-dia desta, a sua família... até que marca um encontro e exige que Serena, confesse o crime, para ao menos limpar o seu nome daquele horrível homicídio.
Serena uma mulher apaixonada pelo seu marido, com dois filhos lindos. Nunca contou a verdade sobre o passado ao marido. E vive atormentada com a ideia que este descubra e a sua vida vá por agua a baixo. Quando é confrontada por Poppy para que assuma o crime, Serena não pode confessar o crime, e não entende como é que Poppy lhe pede uma coisa dessas, porque na verdade Serena não cometeu esse crime.
Conclusão, qual das duas realmente cometeu o crime?
Uma historia emocionante, adorei imenso.

Leitura terminada a 15/10/2010
Classificação: 6/7 Excelente